“Não há qualquer entendimento com o PSD”

JPP considera que as suspeitas dos centristas revelam intranquilidade no “reino” dos novos “recém-casados”

12 Out 2019 / 15:08 H.

As suspeitas de alguns centristas de que há entendimento entre PSD e JPP continuam a dar que falar. Bastou que o DIÁRIO desse conta dessas dúvidas na sua edição de hoje para que os envolvidos viessem a terreiro tentar justificar posições

Depois de Tranquada Gomes, que esta manhã garantiu não estar envolvido em qualquer movimentação contra o acordo PSD/CDS, um bloqueio que não consta em nenhum momento da notícia, eis que surge o JPP a fazer a sua parte assegurando que notícia “não corresponde à verdade”.

“É absolutamente falso, aliás uma grande mentira, que haja qualquer acordo antes ou depois com as eleições regionais, entre o JPP e o PSD. A palavra dada pelo JPP é sagrada perante o eleitorado, que sempre respeitou e confiou”, refere o secretário-geral Élvio Sousa. Contudo, entende que a notícia é “fruto de muita intranquilidade no “reino” dos novos “recém-casados” (PSD e CDS)”. Ou seja, admite haver desconfianças que atribui a um “‘esgalgado’ pelo poder” que “usa a chantagem para obter determinados fins e vê nas outras forças políticas a sua forma de agir”. “Está tudo dito. O que concluímos é que a nova coligação está artificializada pelos interesses individuais, em detrimento dos interesses da população madeirense”, sublinha.

O JPP também rebate a argumentação assumidas por fontes centristas, “quando consideram haver negociação para viabilizar contrapartidas para Santa Cruz, como se o JPP jogasse pelos mesmos dados que a partidarite tradicional!”.

Élvio Sousa jura que “não há qualquer entendimento com o PSD, nas costas dos cidadãos”. “O que há - e registo essa ansiedade - é muita intranquilidade nos partidos que “casaram” recentemente por via de acordo político. O PSD, neste momento, está a carregar o CDS às costas, e a vergar-se à mais ínfima parcela da sua incredulidade”, observa, citando o ditado, “quem boa cama faz, nela se irá deitar”.

O DIÁRIO não só mantém tudo o que escreveu a propósito das suspeitas dos centristas, que hoje nos foram reafirmadas, tal como da existência de reuniões entre dirigentes do JPP e do PSD. Mais, solicitou ao JPP informações sobre os intervenientes e as datas dos “encontros de cordialidade” que Élvio Sousa assumiu publicamente terem existido com o PSD mas que Tranquada Gomes, depois de ter confidenciado a alguns dos seus pares na ALM, nega terem existido.

Nota de Redacção: ao contrário do que consta da edição impressa, por lapso na colocação em página, a notícia é da autoria de Ricardo Miguel Oliveira e não de Jorge Freitas Sousa.

Outras Notícias