Madeira participa no projecto europeu AGEO

22 Jul 2019 / 11:58 H.

A Universidade da Madeira (UMa), através da Faculdade de Ciências Exactas e da Engenharia, participou, no passado mês de Junho, na reunião de arranque do projecto AGEO – Platform for Atlantic Geohazard Risk Management (Plataforma Atlântica para a Gestão do Risco Geológico) que se realizou no Instituto Superior Técnico (IST).

A ideia foi definir o plano detalhado para o primeiro ano de projecto e reunir todos os membros, tendo a UMa sido representada pelos Professores Fátima Gouveia, João Martins e Paulo Silva Lobo.

O projecto AGEO é financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e pretende financiar vários Observatórios de Cidadãos para desastres naturais, tendo em conta as prioridades regionais. O objectivo é demonstrar de que forma a contribuição dos cidadãos na prevenção de riscos naturais pode reforçar os sistemas regionais e nacionais de gestão de risco.

Na Madeira é liderado pelo Instituto Superior Técnico (IST), sendo coordenado pelo Prof. Rui Carrilho Gomes, e conta com a participação de vários parceiros de Espanha, França, Irlanda, Reino Unido e Portugal.

“A Região Atlântica está exposta a eventos de baixa probabilidade/alto impacto e a vários cenários de perigo para os quais, devido à baixa probabilidade de ocorrência e/ou elevado custo de acções de mitigação, carecem de medidas de preparação eficazes para a monitorização e resposta em situação de desastre”, refere nota da UMa, salientando que o projecto AGEO “pretende lançar uma nova forma de colaboração entre a sociedade civil e as autoridades locais para o desenvolvimento de capacidades relacionadas com desastres naturais e incentivo à utilização de produtos inovadores e serviços para a Observação da Terra, fornecidos por infraestruturas Europeias de dados, em particular, Copernicus”, visando ainda uma utilização mais eficiente de dados, produtos e serviços do Copernicus a nível regional.

AGEO irá estabelecer relações com as comunidades locais para que participem activamente na preparação e monitorização de riscos naturais e incorporar capacidades locais nos sistemas de gestão de risco. A experiência adquirida durante a implementação dos primeiros Observatórios de Cidadãos será utilizada para formular recomendações para a criação de futuros observatórios como resposta à vasta gama de desastres, naturais e induzidos pela actividade humana, na região do Atlântico.

Os principais objectivos do AGEO passam por promover a utilização de produtos e serviços fornecidos pelas infraestruturas de dados europeias, como o Copernicus e EGDI (Infraestrutura Europeia de Dados Geológicos); criar uma plataforma de cooperação e recursos de consultoria, preparação, mitigação e prevenção de desastres naturais no Atlântico, e realizar estudos específicos para confirmar as capacidades dos Observatórios de Cidadãos no melhoramento de sistemas de gestão de risco.

O projecto pode ser seguido através do website www.ageoatlantic.eu e através das redes sociais

@ageoatlantic.

Outras Notícias