Governo vai aumentar a diária que paga às casas de saúde mental

Na Região, existem cerca de três mil pessoas com doenças neurodegenerativas

02 Dez 2019 / 19:04 H.

O Orçamento da Região para 2020 vai prever um aumento da diária, que a Região paga à casas de internam doentes mentais. A anúncio foi feito pelo secretário regional da Saúde, hoje, durante a cerimónia de assinatura de um contrato-programa entre o IASAÚDE e a Delegação da Madeira da Associação Alzheimer Portugal.

Perante o público, que se junto na sala de conferências da nova sede da Secretaria da Saúde, à Rua da Carreira, Pedro Ramos enquadrou essa medida, que vem na sequência de um primeiro aumento, no ano corrente, na estratégia da Região para a saúde mental.

Outros aspectos dessa estratégia são o Observatório da Saúde Mental, o desenvolvimento de projectos como o Juntos no Cuidar, o Mais Contigo, da Sagrada Família e, por fim, mas não menos importantes, a aposta nos recursos humanos.

Este aspecto, os recursos humanos, o governante disse ter sido o tema da primeira reunião, que estabeleceu, quando chegou à Secretaria da Saúde, em 2017. Diz Pedro Ramos que, nessa altura, o SESARAM contava com um psiquiatra e agora com seis.

Na questão da Saúde Mental, enquadrou enquadrou as doenças neurodegenerativas. São, em certa medida, um reflexo do sucesso do ser humano e das sociedades ocidentais, com os cuidados de saúde. Estatisticamente, uma parte de nós, um em cada três ou em cada dois, está como que destinada a ter um cancro e/ou uma doença neurodegenerativa. Na Madeira, existem cerca de três mil doentes com doenças neurodegenerativas.

Compete ao Governo, em parceria com um conjunto alargado de entidades públicas e sociais trabalhar e investir para reduzir a doença ao máximo e proporcionar qualidade de vida.

Cada um tem a responsabilidade de contribuir com práticas de vida saudáveis.

Outras Notícias