Bastonário aponta caminho para Madeira deixar de ser única região turística em contraciclo

08 Nov 2019 / 18:48 H.

O bastonário da Ordem dos Economistas, Rui Leão Martinho, alertou, esta tarde, no encerramento da XIII Conferência Anual do Turismo (CAT), que a Madeira “é um destino turístico que está em contraciclo com as restantes regiões do país” e “que diminuiu o nível de dormidas entre 2018 e este ano”, tendo apontando o caminho para inverter a tendência negativa.

“Espero que a Madeira possa alcançar resultados similares que o continente atinge agora e melhores do que aqueles que tem neste momento. Porque isso é possível. As potencialidades estão aqui. Para tal é necessário dar resposta às ofertas dos principais concorrentes estrangeiros, fazendo sobressair as ofertas programáticas, aumentando a disponibilidade e facilitando as rotas de acesso, não deixando de liderar a estratégia do ‘pricing’ que é um dos sectores mais determinantes na tomada de decisão sobre as viagens”, avançou o dirigente da instituição que congrega os economistas portugueses.

Na opinião de Rui Leão Martinho, “a Madeira tem tudo para se posicionar de forma distintiva através do desenvolvimento de produtos e de serviços turísticos que permitam experiências de contacto com a natureza, acentue o modelo de bem-estar e de novos estilos de vida”.

Considera também “importante apoiar a continuação do posicionamento do Funchal como um porto atractivo para rotas de cruzeiro, mitigando assim o efeito da sazonalidade e apostando sempre na preservação do ambiente natural”. Por outro lado, destacou “o potencial que existe para a Região se dinamizar em vários sectores e de atrair estrangeiros”, designadamente no turismo residencial e de saúde.

Por fim, felicitou o presidente da delegação regional da Ordem dos Economistas, Paulo Pereira, pela 13.ª edição da Conferência Anual do Turismo (CAT), elogiando a inovação, criatividade e grande participação num evento que “correu bem” e com “uma organização muito cuidada”.

Outras Notícias