Barreto diz que PSD “dá sinais de desorientação” e alerta para “despesismo e populismo” de Cafôfo

16 Mar 2019 / 21:35 H.

O líder do CDS-PP Madeira, Rui Barreto, acredita que o partido está hoje “melhor preparado para enfrentar os próximos desafios”, num ano com três actos eleitorais. Rui Barreto falava no final da eleição para os órgãos concelhios do CDS-Funchal, que este sábado elegeu Gonçalo Pimenta para a liderança da Comissão Política deste órgão interno.

“O CDS tem de estar na máxima força, com trabalho seguro e responsável, falando clarinho às pessoas, dizendo o que vamos fazer, com quem vamos fazer e como vamos fazer”, declarou o líder regional do partido, depois de tecer considerações ao novo presidente da concelhia. “Conheço o Gonçalo há anos, é uma pessoa trabalhadora, competente e humilde, com boa formação. É filho de uma professora primária, como eu sou, e é de uma geração em que as professoras ainda davam uma ‘palmadinha’ ou puxavam as orelhas, mas havia um grande respeito pelos professores”, declarou Rui Barreto.

Falando para o interior do partido, Rui Barreto disse constatar na rua que há “uma maior adesão ao projecto do CDS” e acredita que esse reconhecimento provém das iniciativas frequentes que o partido vem realizando, como o “Ouvir a Madeira, Um problema, Uma Solução”, as propostas e debates na Assembleia Regional e o trabalho dos diversos autarcas, em toda a Região. “Na verdade, fazemos política com utilidade, para melhorar a vida das pessoas e, o mais importante, estamos a envolver cada vez mais a sociedade nas conferências que temos feito”, referiu, para sublinhar. “As nossas conferências fazem-se com pessoas que não pensam rigorosamente como nós, mas são pessoas muito bem preparadas e competentes que connosco estão a preparar um programa que seja exequível, que dê segurança, estabilidade, futuro e emprego”.

Numa análise ao que tem assistido nesta fase pré-eleitoral, Rui Barreto antevê “uma campanha eleitoral negra” e diz que isso é já uma evidência nas redes sociais. “O CDS não vai dar para esse peditório”, afirmou, para acrescentar. “O CDS irá continuar a sua rota com projectos e propostas, seguindo o seu caminho seguro, e não vai nessas tentações”.

Num discurso marcadamente político, Rui Barreto disparou: “Tenho sentido, também, que alguma comunicação social procura transformar estas eleições numa escolha entre Paulo Cafôfo e Miguel Albuquerque, nada mais errado.O dr. Paulo Cafôfo tem dado mostras de que representa o despesismo, veja-se o caso da criação da Polícia Municipal gastando mais de um milhão de euros dos contribuintes para fazer o que faz o Departamento de Fiscalização e Trânsito”, sublinhou para apontar ao partido no poder. “O PSD, por outro lado, dá sinais de desorientação e falta de adesão à realidade. Já não percebe quais são as principais prioridades, e uma delas, a mais importante, é a saúde, é preciso investir na saúde e dar segurança e dignidade às pessoas. Ainda ontem (sexta-feira) o CDS denunciou uma situação lamentável no Centro de Saúde de São Vicente, que há mais de um mês tem uma caldeira avariada, pondo em causa o funcionamento dos Cuidados Continuados. Os madeirenses não tem que decidir entre a desilusão do Miguel Albuquerque e o populismo e despesismo de Paulo Cafôfo”, concluiu.

Gonçalo Pimenta, o eleito presidente da Comissão Política Concelhia do CDS Funchal prometeu reorganizar a “casa” e colocar a concelhia na rota do projecto europeu, regional e nacional do CDS. Gonçalo Pimenta lembra que vem aí um ano eleitoral “com muito trabalho” e por essa razão comprometeu-se a trabalhar para que a concelhia “contribua de foram decisiva para que o partido saia reforçado já nas próximas eleições europeias e vitorioso nas regionais e nacionais”, disse.

Outras Notícias