Augusta Aguiar destaca reforço de 1,2 milhões de euros às IPSS em 2019

13 Jan 2020 / 20:06 H.

A secretária regional de Inclusão Social e Cidadania, Augusta Aguiar, marcou presença esta segunda-feira na tomada de posse dos órgãos sociais da Associação de Reabilitação e Reintegração da Madeira (ARRIMA), uma associação recém-criada, no concelho de Santa Cruz, que tem como objectivo melhorar as condições de vida das pessoas em situações vulneráveis e que necessitam de se reintegrar na sociedade, por motivos variados.

“Estou certa de que o trabalho a desenvolver pela ARRIMA irá complementar a acção do Governo Regional e de outras instituições já existentes”, sublinhou Augusta Aguiar, acrescentando que “a inclusão e coesão social são objectivos estratégicos e primordiais na actuação do Governo Regional da Madeira”. Neste sentido, tem vindo a ser desenvolvida “uma estratégia assente em valores humanistas e de cidadania, essencialmente focada na inclusão das pessoas mais vulneráveis e com maiores carências”.

A governante aproveitou a ocasião para agradecer “o trabalho incansável e fundamental que as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) fazem diariamente, em conjunto com o Governo Regional, com o intuito de apoiar as pessoas que se encontram em situação de maior vulnerabilidade”.

Sobre os apoios dados às Instituições Particulares de Solidariedade Social, Augusta Aguiar destacou o aumento de verbas destinadas às IPSS, nomeadamente o reforço de 1,2 milhões de euros em 2019. “Transferimos cerca de 1,2 milhões de euros a mais face ao ano anterior, passando de apoios às IPSS, em 2018, na ordem dos 22,9 milhões de euros, para 24,1 milhões de euros em 2019”.

“É através deste trabalho em rede, de cooperação institucional, que se alcançam os melhores resultados, sempre em prol do bem-estar das populações”, afirmou Augusta Aguiar.

Augusta Aguiar finalizou a sua intervenção, salientando que “o Governo Regional tem como pilares fundamentais da sua estratégia assegurar maior igualdade e coesão social como caminho privilegiado para a sustentabilidade regional. O bem-estar e o desenvolvimento inclusivo estão no centro da ação do executivo, no sentido de contribuir para a melhoria das condições de vida das famílias madeirenses e porto-santenses”.