“As famílias com crianças” precisam “de emprego estável e com direitos”

13 Mar 2019 / 15:28 H.

A CDU/Madeira esteve, esta manhã, na Rua João Tavira, numa acção de contacto com a população sobre as consequências directas da falta de direitos laborais dos pais e mães trabalhadores na vida dos seus filhos.

Ana Carolina Cardoso disse que “a vida real das crianças e das suas famílias não é um tema que esteja na ordem do dia, mas é uma questão central”.

“As famílias com crianças não precisam de caridade, nem de creches abertas 24 horas. Precisam de emprego estável e com direitos; precisam do aumento geral dos salários; precisam que o horário de trabalho reduza para as 35 horas e que se acabe com a desregulação dos horários; precisam de um plano para erradicar a precariedade; precisam que seja aumentado o tempo das licenças de maternidade e paternidade e que se respeitem e alarguem direitos como a amamentação, a aleitação, a assistência familiar”, afirmou.

Disse ainda que “a violência e desumanização dos horários de trabalho, a recusa do horário para acompanhamento aos filhos significa, tantas vezes, colocar as mães e pais perante a decisão de manter o posto de trabalho ou serem acusados de abandono da criança”.

“É disto que estamos a falar. De tantas crianças neste país, que são entregues a familiares, irmãos, vizinhos, a si próprios, porque as mães e os pais não podem deixar de cumprir os horários abomináveis que lhes são impostos. Existem tantas e tantas famílias neste país em que a desregulação dos horários corresponde à intermitência dos afectos, das rotinas de acompanhamento das crianças, não permitindo condições de desenvolvimento harmonioso a crianças e jovens. Maternidade e paternidade são sempre, mas sempre, vistas como menor disponibilidade e obstáculos à disponibilidade dos trabalhadores”, acrescentou, concluindo que “são os filhos dos trabalhadores que pagam o preço desta factura. É essencial que os trabalhadores tenham tempo para acompanhar, criar e ver crescer os filhos”.

Outras Notícias