Anselmo Borges lança desafios aos jovens da UMa para que pensem nos “grandes desafios globais”

19 Nov 2019 / 20:24 H.

Acabou, há poucos minutos, a palestra ‘Já não há valores?’, do padre Anselmo Borges, que teve lugar, na Sala do Senado, nas instalações da Universidade das Madeira, na Penteada.

O evento, organizado e moderado pela professora da casa, Teresa Nascimento, teve como “pretexto” a apresentação do livro ‘Conversas com Anselmo Borges - A vida, as religiões, Deus’, o mais recente trabalho do renomado padre, professor e ensaísta português.

Mas, muito mais do que uma apresentação, o livro deu mote para uma inspirada prelecção sobre a evolução do ser humano e a sua busca pelo “sentido último” e, em último sentido, por Deus.

Questões estas que são, de resto, reflectidas na obra (por exemplo no capítulo ’Deus.Que Deus?’), que compila uma selecção de entrevistas que o padre Anselmo foi dando a vários órgãos de comunicação social (entre elas duas que deu ao DIÁRIO) entre 2007 e 2019.

Desta conferência, que reuniu dezenas de alunos e alguns convidados, sobressaí também um desafio deixado pelo padre aos mais jovens e à Universidade no geral: “tirar tempo para pensar sobre os grandes problemas globais que se colocam à humanidade”, entre os quais “as alterações climáticas, os mercados [globais], as drogas ou as nanotecnologias”.

A seu ver, a solução não pode descurar os valores, isto é, “tem de ser ético-política”, e passa por uma “governança global”.

Anselmo Borges é professor de Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, é padre da Sociedade Missionária Portuguesa, formado em Teologia pela Universidade Gregoriana, em Roma, em Ciências Sociais pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, em Paris, e em Filosofia pela Universidade de Coimbra. Já deu aulas de Filosofia e Teologia na Universidade Católica Portuguesa e no Seminário Maior de Maputo, em Moçambique. Tem mais de uma dezena de obras publicadas.