Cimeira é plataforma para intercâmbios culturais

07 Jun 2019 / 08:23 H.

Arranca pelas 10 horas a Cimeira Madeira/Cabo Verde, iniciativa que decorre no Grande Auditório do Atlanticulture Center (Forúm Machico) e que conta com as presenças de José Ulisses de Pina Correia e Silva, Primeiro–Ministro do Governo de Cabo Verde; de Miguel Albuquerque, Presidente do Governo Regional da Madeira; de Abraão Vicente, Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas do Governo de Cabo Verde; Paula Cabaço, Secretária Regional do Turismo e Cultura; e Eurico Monteiro, Embaixador de Cabo Verde em Portugal.

“Neste encontro internacional, que terá lugar em Machico, a conferência, as oportunidades, os encontros de negócios, o mercado profissional e os ‘showcases’ irão oferecer um cenário perfeito para profissionais internacionais das artes, da cultura, da música, da vida empresarial e da gestão da coisa pública da Madeira e de Cabo Verde trocarem experiências e conhecimentos, expandirem os seus contactos e actividades, e descobrirem a nossa Ilha”, refere a Atlanticulture, organizadora do evento, empenhada em permitir aos agentes culturais internacionais e locais “a possibilidade de desfrutarem de uma ampla oferta de descobertas culturais do universo destes dois arquipélagos da Macaronésia que apresentam tantas semelhanças e heranças culturais e gastronómicas”.

Quanto a objectivos, para além da atracção de opinion leaders, agentes locais e internacionais, “juntando em Machico um vibrante intercâmbio cultural”, a Atlanticulture entende que esta é uma oportunidade de activação da forte rede com intervenientes produtivos internacionais ligados ao negócio das Indústrias Criativas.

Julga ainda que esta é uma oportunidade para reafirmar esta “Ponte Cultural Atlântica, uma plataforma para intercâmbios culturais”, até porque a história da Madeira está intimamente ligada ao Comércio Atlântico”.

A Atlanticulture vai distinguir nesta cimeira o escultor Ricardo Veloza. Trata-se de “uma homenagem à sua extraordinária obra que está presente um pouco por toda a Região, mas sobretudo ao seu pendor pedagógico, ao mestre, ao impulsionador das artes” refere o CEO da Altanticulture, Sérgio Nóbrega para quem Ricardo Veloza é “uma pessoa que está sempre muito à frente no tempo”.

Outras Notícias