Ingerência da Rússia ameaça eleições norte-americanas

13 Fev 2018 / 19:27 H.

A ingerência da Rússia na política norte-americana persiste e ameaça as eleições intercalares nos Estados Unidos previstas para Novembro, afirmou esta terça-feira o director dos Serviços Secretos durante uma audição no Congresso, em Washington: “Não vimos nenhuma prova de mudança significativa”, disse Dan Coats, referindo-se ao facto de, em 2016, terem surgido denúncias de tentativas russas de influenciar os resultados da eleição presidencial norte-americana.

As denúncias apontavam para interferências russas através das redes sociais e da fuga de informações para favorecer a candidatura do republicano Donald Trump contra a democrata Hillary Clinton.

O Presidente Donald Trump rejeitou estas denúncias e Moscovo desmentiu, na altura, categoricamente, as acusações americanas, enquanto vários inquéritos parlamentares nos Estados Unidos têm tentado trazer nova luz sobre a matéria: “Temos indicações de que a Rússia continua a utilizar a propaganda, as redes sociais, os porta-vozes favoráveis e outros meios para montar uma variedade de operações destinadas a instigar as divisões sociais e políticas nos Estados Unidos”, disse Coats perante a comissão de senadores.

O responsável também declarou à agência de notícias Associated Press que considera que o sistema norte-americano, para conferir autorizações de segurança para altos funcionários do Governo, precisa de ser completamente revisto.

As declarações surgem na sequência da demissão de Rob Porter, o secretário do gabinete da Casa Branca que abandonou o cargo na última semana após o surgimento de notícias de violência doméstica sobre duas ex-mulheres: “Temos um sistema danificado e toda a gente está a concordar com esta situação”, comentou, defendendo uma “mudança revolucionária” no sistema, que não consegue certificar rapidamente milhares de pessoas para trabalharem nos serviços federais e no Governo.

Várias agências de segurança nacional têm à sua responsabilidade, nos Estados Unidos, a verificação do passado de pessoas candidatas a recrutamento, ou para terem acesso a informação confidencial, mas uma parte é confiada a empresas privadas.

As eleições intercalares realizam-se a cada quatro anos, a meio do mandato presidencial, para a escolha da Câmara dos Representantes e do Senado.

Outras Notícias