França chama embaixador da Venezuela em Paris após morte de opositor

11 Out 2018 / 19:44 H.

O embaixador da Venezuela em Paris foi hoje chamado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros francês após a morte do opositor venezuelano Fernando Albán em Caracas na passada segunda-feira, divulgou o ministério.

O governo francês expressou vontade que as circunstâncias da morte do vereador e membro do partido da oposição venezuelano Primeiro Justiça (PJ) sejam esclarecidas através “de uma investigação imparcial e independente”, referiu a diplomacia francesa, numa nota informativa.

O executivo francês acrescentou que “é da responsabilidade de todos os Estados garantir a integridade física e a saúde dos detidos”, bem como reiterou o apelo “à libertação plena e completa de todos os presos políticos” e “ao respeito pelas liberdades fundamentais na Venezuela”.

A morte de Fernando Albán está a ser tratada pelas autoridades venezuelanas como um suicídio, mas a oposição acusa o regime de Nicolás Maduro de ter assassinado o político.

O vereador da área metropolitana de Caracas, que estava detido desde o passado dia 05 de outubro pelo alegado envolvimento num ataque com drones ocorrido em agosto contra o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, morreu quando estava sob custódia policial.

As autoridades de Caracas afirmam que Albán se lançou do 10.º andar da sede dos serviços de informação venezuelanos, onde estava a ser interrogado, depois de ter pedido para utilizar a casa de banho.

As relações entre França e Venezuela têm vindo a deteriorar-se.

Paris denunciou a “deriva autoritária” do regime de Nicolás Maduro, enquanto Caracas acusou França, entre outros países, de querer promover “uma mudança de governo pela força”.

As críticas de Maduro surgiram depois de Paris ter apoiado uma iniciativa de seis países que pediram uma investigação pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre os eventuais crimes contra a humanidade cometidos, segundo estes países, pelo governo da Venezuela.

Outras Notícias