‘Dia dos Solteiros’ na China tranformou-se no maior evento de comércio ‘online’ do mundo

China /
11 Nov 2017 / 12:19 H.

O Dia dos Solteiros na China, uma data nascida na década de 1990 entre estudantes universitários, é hoje o maior evento de comércio eletrónico do mundo, com os chineses a gastarem milhares de milhões de yuan em compras ‘online’.

O gigante de comércio eletrónico Alibaba disse hoje que as vendas dos milhares de retalhistas que constam da sua plataforma excederam os 130 mil milhões de yuan (cerca de 17 mil milhões de euros à taxa de câmbio atual) entre a meia-noite de sexta-feira e o início da noite de sábado (hora local na China).

Já o maior rival do Alibaba, o revendedor ‘online’ JD.com, divulgou que as vendas atingiram os 16,7 mil milhões de dólares (14,3 mil milhões de euros). Contudo, os números não são comparáveis, uma vez que as transações da JD vão desde 01 de novembro até hoje.

Por comparação, os norte-americanos gastaram o ano passado cinco mil milhões de dólares (4,3 mil milhões de euros) em compras ‘online’ no Dia da Ação de Graças e na ‘Black Friday’ (a sexta-feira seguinte à Ação de Graças, que os comerciantes transformaram em evento comercial). A época da Ação de Graças assinala-se no final de novembro e marca, nos Estados Unidos da América, o início das compras de Natal.

Já na ‘Cyber Monday’ (a segunda-feira a seguir ao Dia de Ação de Graças, em que empresas promovem compras ‘online’), os americanos gastaram 3,39 mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros) o ano passado, ainda de acordo com a Adobe, que faz esta monitorização.

A China é, atualmente, o maior mercado de comércio eletrónico do mundo e a as compras ‘on-line’ representam uma proporção cada vez maior das despesas de consumo dos chineses.

A consultora Boston Consulting Group prevê que os gastos ‘online’ aumentarão 20% ao ano, atingindo 1,6 biliões de dólares (1,4 biliões de euros) em 2020, em comparação com o crescimento de 6% previsto para as compras presenciais.

O Dia dos Solteiros foi iniciado por estudantes universitários chineses na década de 1990 como uma versão do Dia dos Namorados para pessoas sem parceiros românticos, tendo sido transformado num evento de comércio ‘on-line’, com os retalhistas a anunciaram promoções, com o objetivo de atrair jovens consumidores.

A despesa deste dia na China dá um impulso aos esforços do Partido Comunista chinês para estimular o crescimento económico baseado no consumo interno.

A China tem 731 milhões de utilizadores de Internet, um aumento de 6% face a 2016, segundo as estatísticas do Governo.

Outras Notícias