Comissão Política PPD/PSD-Monte critica Pedro Pereira

Monte /
19 Mai 2017 / 11:04 H.

Em nota à imprensa, a Comissão Política PPD/PSD-Monte afirma que “são cada vez mais frequentes os fenómenos políticos que, passo a passo, infligem pequenas, mas verdadeiras, machadadas na democracia, nos seus princípios, nos seus valores, nas suas conquistas em benefício dos povos”.

“Na Região Autónoma da Madeira (RAM) respira-se democracia” e com ela assumem-se e defende-se “liberdades e garantias individuais e colectivas de fulcral importância e que, em hipótese alguma, podem ser alienadas”.

Nesta ordem de ideias, a Comissão Política do PPD/PSD Monte vem tecer algumas considerações em relação a Pedro Pereira, secretário-geral do CDS/PP-Madeira, poder apresentar-se, como independente, às próximas eleições à Junta e à Assembleia de Freguesia do Monte.

A Comissão Política PPD/PSD-Monte questiona se é “válido” e “aceitável o argumento, em defesa da sua liderança do movimento ‘Somos Todos Monte’, de se apresentar como independente porque, na sua lista figuram alguns cidadãos que não são militantes do CDS/PP”.

Regista-se que nas últimas eleições à Junta e à Assembleia de Freguesia do Monte o PPD/PSD apresentaram-se cidadãos não militantes do partido e “voltará a fazer o mesmo em 2017, mas os militantes do PPD/PSD assumiram-se e assumem-se enquanto tal”, afirma a Comissão.

A Comissão Política do PPD/PSD-Monte não quer acreditar que esta seja uma “manobra política, um exemplo do que é a má política, que tudo se faz para tentar iludir os eleitores, de modo a conseguir o maior número de votos possível”. Questiona ainda a “frontalidade política” e “onde fica o assumir das convicções políticas, dentro de um partido, em benefício da população e não em benefício próprio”.

A necessidade de esclarecimentos não decorre de quaisquer receios da Comissão Política do PPD/PSD-Monte da candidatura de Pedro Pereira à freguesia, mas apenas por considerar de máxima importância a clarificação deste assunto.

A Comissão Política do PPD/PSD-Monte lembra que aquando das eleições autárquicas de 2013, Pedro Pereira demitiu-se de militante do PPD/PSD-Madeira, criou o movimento ‘Somos Todos Monte’, concorreu às eleições à Junta e à Assembleia de Freguesia do Monte, foi eleito vogal à Assembleia de Freguesia, tornou-se militante do CDS/PP e apresentou renúncia de mandato à Assembleia de Freguesia em Dezembro de 2015. Esta cronologia “é uma pequena amostra da Democracia que se respira na RAM”.

“Quando se está na política pela defesa dos interesses da população, não é, nem deve ser necessário recorrer a quaisquer técnicas de maquilhagem”, convicção esta da Comissão Política do PPD/PSD, na freguesia do Monte.

Outras Notícias