Acordos com sindicatos melhoram vida dos funcionários da CMF

22 Set 2017 / 18:20 H.

Os funcionários da Câmara Municipal do Funchal deixaram de ter a adaptabilidade e o banco de horas e as férias para alguns podem chegar aos 31 dias por ano. Estes são os principais resultados da assinatura hoje dos Acordos Colectivos de Trabalho de Empregadores Públicos (ACEP) entre o Município e a FESAP - Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades de Fins Públicos, com o STFPRAM - Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública da Região Autónoma da Madeira e ainda com o STAL - Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, Empresas Públicas Concessionárias e Afins, este pela primeira vez. Os acordos são válidos por dois anos, com renovação automática por mais dois anos.

O máximo de férias será sempre resultado da conjugação do número de anos de serviço, da idade do funcionário e da avaliação, uma medida, destacou Paulo Cafôfo, que vem valorizar e beneficiar os trabalhadores.

Na ocasião, o presidente da Câmara e novamente candidato recordou o trabalho já realizado pelo executivo em prol dos funcionários, nomeadamente a mobilidade intercarreiras para 50, e a abertura mais recente de concurso para preenchimento de vagas em várias áreas para o quadro.

O entendimento foi fácil, revelou o autarca, em grande medida pela abertura das duas partes.

Já para Ricardo Freitas, do SINTAP, o acordo foi mais um passo, há ainda um “caminho a percorrer”, agora na área dos acordos de empresa. O sindicalista tem expectativas para o próximo ano. Espera que a questão da precariedade na Região seja resolvida e que independentemente da negociação para o Orçamento e descongelamento de carreiras, a nível nacional, também no plano regional e autárquico os trabalhadores possam recuperar rendimentos através da política fiscal.

No discurso antes da assinatura do documento, recordou que é fundamental “acima de tudo” a admissão de pessoas.

Outras Notícias