Si Que Brade celebra ‘bodas de pérola’e dá concerto apadrinhado por Júlio Pereira

07 Nov 2017 / 12:58 H.

No ano em que o grupo Si Que Brade – Grupo de Música e Instrumentos Tradicionais da Direcção de Serviços de Educação Artística e Multimédia – celebra 30 anos de práticas artísticas contínuas, apresentar-se-á em concerto apadrinhado pelo músico Júlio Pereira, uma das referências da prática de cordofones tradicionais, como é o caso do cavaquinho.

Júlio Pereira, que estará no Funchal no próximo dia 11 a apresentar o seu novo trabalho discográfico intitulado ‘Praça do Comércio’, aceitou o convite para integrar esta celebração e juntar-se-á à iniciativa Sons da Adega, na sexta-feira dia 10, pelas 21 horas, no Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira (IVBAM).

O Si Que Brade – Grupo de Música e Instrumentos Tradicionais da Direcção de Serviços de Educação Artística e Multimédia, inicialmente chamado “Tuna de Instrumentos de Corda Tradicionais Madeirenses”, foi constituído no ano lectivo de 1987/88 com o objectivo de estimular os jovens das escolas da região à aprendizagem dos instrumentos tradicionais madeirenses. Pretendendo dar a conhecer as raízes culturais do Cancioneiro Madeirense e divulgar os instrumentos regionais, o grupo tem realizado vários concertos pela Madeira e continente português.

Actualmente, o grupo é composto por 11 elementos com idades compreendidas entre os 12 e 29 anos. O seu repertório incide predominantemente na área da música tradicional/popular madeirense, embora apresente temas populares nacionais e internacionais, assim como música erudita. A direcção artística do Si Que Brade é da responsabilidade do professor Roberto Moritz.

Este concerto, por estar integrado na celebração das “bodas de pérola” do grupo, contará com um alinhamento musical variado e integrante de recordações da sua, já longa, existência: desde músicas que acompanham o seu repertório desde longa data, temas de projectos de simbiose em que participou e ainda peças de um cancioneiro recente, de autores madeirenses como Manel Rodriguez ou Mário André Rosado.

A iniciativa Sons da Adega proporciona, antes do início do concerto, a oportunidade de apreciar e degustar um Vinho Madeira seleccionado para a ocasião e com prova comentada por um elemento da Câmara de Provadores do Instituto do Vinho da Madeira. Neste evento, serão postos à prova pelo paladar dos presentes um D’Oliveiras, 5 anos, meio doce, e um Barbeito Rainwater, 5 anos, meio seco. As entradas para o evento custam 5 euros e estarão à venda no local, uma hora antes do seu início.

Tópicos

Outras Notícias