Dia das Redes Sociais assinala-se no domingo com interesse crescente dos mais idosos

29 Jun 2019 / 11:20 H.

O Dia Mundial das Redes Sociais assinala-se no domingo, contando em Portugal com mais de cinco milhões de utilizadores e um interesse crescente por parte dos mais velhos.

Na Universidade Intergeracional de Benfica (UNISBEN), cerca de 40 pessoas frequentam o curso de informática e a procura pela disciplina de redes sociais é grande, “porque muitas pessoas querem saber lidar com as últimas novidades existentes no mercado”, contou à agência Lusa a presidente da comissão directiva da instituição.

Segundo Teresa Santo Cristo, o interesse pelas redes sociais deve-se à possibilidade de manter o contacto com a família, amigos e de “evitar em larga medida a solidão”.

A criação da disciplina de redes sociais no curso de informática “foi uma resposta às próprias necessidades”, já que muitos dos alunos mostravam interesse e faziam perguntas sobre o uso do Facebook.

“Começámos pelo Facebook, que regra geral as pessoas querem dominar. Não só para entrar em contacto com familiares”, mas também para “encontrar possíveis amigos que já não se vê há algum tempo”.

Depois de usar o Facebook, os alunos da UNISBEN, que têm entre 50 e 80 anos, mostraram interesse em saber mais sobre o Twitter e o Instagram sendo atualmente estas as redes sociais abordadas nas aulas de informática.

Quanto aos mais jovens, as redes sociais são usadas pela generalidade.

Para a psicóloga Margarida Gaspar de Matos, a utilização das redes sociais como forma de socialização é “um complemento das relações com os amigos reais”.

A especialista admite que a forma como o jovem convive fora do mundo virtual pode ser afectada, mas apenas em casos em que se verifique uma patologia de dependência.

“No geral as coisas vão-se equilibrando, nem todos os excessos são dependências”, disse à Lusa.

De acordo com o estudo “Comportamentos aditivos aos 18 anos”, promovido pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), 97% dos jovens portugueses usam as redes sociais.

Segundo este relatório, um terço dos adolescentes usam a Internet de forma excessiva, tendo a maior parte dado início a esta utilização entre os 10 e os 14 anos, havendo um terço dos jovens que admitiram ter começado a usar a Internet antes dos 10 anos.

Um estudo divulgado pela Marktest em outubro do ano passado revela que 5,3 milhões de portugueses usam redes sociais.

O Facebook continua a ser a rede social mais usada, mas o Instagram é a que mais tem crescido nos últimos cinco anos, sobretudo entre os jovens.