Celebrações fúnebres de D. Maurílio de Gouveia começaram na Sé Catedral de Évora

21 Mar 2019 / 20:52 H.

A urna com o corpo do arcebispo emérito de Évora Maurílio de Gouveia, que faleceu na terça-feira, na Madeira, chegou hoje à Sé Catedral da cidade alentejana, que estava quase cheia para o início das celebrações fúnebres.

Os sinos começaram a tocar ininterruptamente às 19:30 e o carro funerário chegou cinco minutos depois ao Largo Marquês de Marialva, onde se situa a Sé Catedral de Évora, onde já se encontravam várias dezenas de pessoas.

O atual arcebispo de Évora, Francisco Senra Coelho, também vindo da Madeira, e um grupo de padres e diáconos dirigiram-se ao exterior da Sé e alguns deles carregaram a urna com os restos mortais de Maurílio de Gouveia para o seu interior.

Com a Sé Catedral de Évora quase cheia, o atual prelado alentejano deu início às celebrações fúnebres ao dirigir algumas palavras, tendo, posteriormente, benzido a urna com o corpo do arcebispo emérito.

Para sexta-feira, às 10:00, está marcada a oração de laudes e haverá grupos que farão a oração durante todo o dia, estando prevista para as 15:00 a eucaristia de corpo presente.

Depois, a urna será levada, em cortejo fúnebre, para a Igreja do Espírito Santo, onde Maurílio de Gouveia ficará tumulado numa das capelas laterais, no Panteão dos Arcebispos.

Nascido em 05 de agosto de 1932, no Funchal, para onde regressou depois da posse do seu sucessor, em Évora, Maurílio Jorge Quintal de Gouveia foi ordenado sacerdote em 1955, passando a liderar, 26 anos depois, a arquidiocese de Évora.

Maurílio de Gouveia foi arcebispo de Évora durante quase 27 anos, entre setembro de 1981 e fevereiro de 2008, tendo sido substituído por José Alves, que permaneceu no cargo até ao ano passado, quando cedeu o lugar ao atual prelado alentejano, Francisco Senra Coelho.

Tanto Maurílio de Gouveia, como José Alves pediram a resignação do cargo quando atingiram o limite de idade canónica (75 anos).

Segundo os dados biográficos do antigo arcebispo, disponibilizados à agência Lusa pela arquidiocese alentejana, Maurílio de Gouveia cursou no Seminário Diocesano do Funchal, onde foi ordenado sacerdote em 04 de junho de 1955.

Daí, seguiu para Roma, frequentando a Universidade Gregoriana e obtendo a licenciatura em Teologia Dogmática.

De regresso à Madeira, exerceu o ministério pastoral na paróquia de Machico, após o que foi nomeado vice-reitor e professor do Seminário do Funchal.

Na sua diocese, foi ainda assistente de vários movimentos de apostolado e cónego da Sé, sendo que, mais tarde, exerceu as funções de diretor do diário diocesano “Jornal da Madeira”.

A nomeação episcopal aconteceu em 26 de novembro de 1973, como titular de Fabiona e Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, e a ordenação episcopal surgiu em 13 de janeiro do ano seguinte, na Sé do Funchal.

Quatro anos depois, em 22 de março, foi nomeado arcebispo titular de Mitilene e vigário geral do Patriarcado de Lisboa.

Sucedendo a Frei David de Sousa como arcebispo de Évora, a nomeação, pelo papa João Paulo II, aconteceu em 08 de setembro de 1981, festa da Natividade de Nossa Senhora, tomando posse três meses depois, no dia da festa da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, padroeira principal de Portugal e da Arquidiocese de Évora

Outras Notícias