CDS aberto à esquerda e à direita faz capa na imprensa nacional

Caso de Alcochete, dos contratos de familiares de entidades públicas, a greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas e os novos hospitais privados são temas para ler nos jornais

02 Ago 2019 / 10:12 H.

“O CDS está pronto para fazer coligações para governar a Madeira”, revela Rui Barreto em entrevista ao Jornal Económico. O líder do CDS Madeira está disponível para impedir aliança à Esquerda nas regionais de 22 de Setembro e alinha tanto com o PS, como com o PSD. Em manchete na edição de hoje, o alerta para os impactos da greve dos motoristas de matérias perigosas. “Produtores alertam para racionamento de alimentos ao terceiro dia de greve”. Pão, o leite e a comida para bebés podem ser afectados. Ainda em primeira, “Justiça procura 1.200 obras que não estão no acordo com o Estado”.

De justiça fala também o Correio da Manhã e o JN. Bruno julgado por terrorismo. O juiz defende que ex-presidente dos leões deu o aval para o ataque aos jogadores em Alcochete. 98 crimes foram dados como provados, escreve o primeiro jornal, que destaca ainda Jorge Mendes que vende Bruno Fernandes. No JN a manchete revela que os tribunais já afastaram 64 políticos e gestores. Ministério Público pediu destituição ou inibição de 79 titulares de cargos estatais desde 2012. Poucos renunciaram ao mandato, acrescenta. Marchesín voa até à baliza na foto maior. Guarda-redes já chegou para reforçar o FC Porto.

No Público, a notícia de que o Ministério da Educação impede professores de trabalhar a tempo parcial. Opção está barrada a docentes do quadro, mesmo com salário reduzido. A provedora da Justiça diz que não há razão. Protecção Civil não enviou alertas por SNS à população é outra notícia em destaque na edição de hoje. Autoridade Nacional responde que só em caso de alerta vermelho é exigido. O serviço foi contratado já no Verão. Em grande, “Livros para o sonho de umas férias de Verão’.

Criados pelo menos 19 hospitais privados em Portugal. Cerca de duas dezenas vão surgir até 2020, revela a manchete do Diário de Notícias. Na imagem principal a legenda “Quem matou o cacique Emyra Wajãpi?”, sobre o mistério na Amazónia.

No i João Miguel Tavares em entrevista. “Alguém tem dúvidas do que são os ajustes directos em Portugal?”, questiona o autor do discurso do 10 de Junho. Sobre o caso dos contratos dos familiares de titulares de cargos públicos, Marques Mendes propõe audição parlamentar prévia a membros do Governo, para “pôr conflitos de interesse em pratos limpos”.

No Negócios, as empresas vão ter plataforma para encontro de contas, diz a notícia maior. O jornal propõe uma visita à fábrica da gigante luso-britânico Farfetch. Também uma chamada para a Caixa Geral de aposentações que revê as regras das pensões antecipadas.

Nos desportivos, o Record coloca em grande o negócio da venda de Bruno Fernandes que passa para Jorge Mendes. Nani em entrevista declara no jornal A Bola “Sporting será campeão quando todos correrem para o mesmo lado”. O Jogo coloca em grande o Vitória de Guimarães e os 4 a 0 frente ao Jeuness Esch: “Os rapazes já mandam”.

Outras Notícias