Carteiro em Barcelos acusado de violar cartas e furtar e usar cartões de crédito

14 Fev 2020 / 02:32 H.

O Ministério Público (MP) acusou de furto, burla informática e violação de correspondência um carteiro de uma freguesia de Barcelos que se apropriou de três cartas que continham cartões de crédito e o respetivo código multicanal.

Em nota ontem publicada na sua página na Internet, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que, com aqueles cartões, o carteiro procedeu a levantamentos de numerário e efetuou compras, em março e abril de 2017, no montante global de 2.088,27 euros.

Este montante viria a ser debitado nas contas dos titulares legítimos dos cartões, a que estes estavam associados.

Em causa está um carteiro que fazia o seu giro na freguesia de Oliveira, em Barcelos, entre 01 de janeiro e 29 de março de 2017, e que se apropriou de cartas dirigidas a clientes de empresa de serviços financeiros.

Na posse do cartão e do código, o carteiro acedeu à plataforma informática disponibilizada pela empresa e criou código para cada um dos cartões, “passando a usá-los como se fossem pertença sua”.

O carteiro está acusado de três crimes de furto, três crimes de burla informática e três crimes de violação de correspondência.