Pelo menos sete pessoas morrem em ataque suicida contra casamento no Afeganistão

12 Jul 2019 / 20:53 H.

Pelo menos sete pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas hoje, depois de um adolescente se ter feito explodir numa cidade no leste do Afeganistão, durante o casamento do sobrinho de um comandante da milícia local.

O ataque ocorreu no início da manhã no distrito de Pachir-Aw-Agam, província de Nangarhar, informou a agência de notícias Efe.

O autor do ataque, segundo informações da agência de notícias AP, teria apenas 13 anos.

De acordo com informações iniciais obtidas pela Efe, sete pessoas morreram, incluindo o suicida, e outras 20 ficaram feridas, afirmou à agência de notícias Efe o porta-voz do governador da província, Attaullah Khogyanai.

O ataque, ocorrido dentro de uma casa, foi perpetrado pelo adolescente que carregava explosivos e o alvo era o comandante de uma milícia local que luta contra os rebeldes, observou o porta-voz.

O comandante, que estava no casamento de seu sobrinho, está entre os mortos, concluiu Khogyanai.

O ataque ainda não foi reivindicado e os talibãs negaram a sua participação no caso.

Segundo uma mensagem publicada na rede social Twitter pelo porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, os militantes deste grupo extremista não têm “nada a ver” com o que aconteceu.

Na província de Nangarhar está a principal fortaleza do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), que frequentemente está por trás dos atentados suicidas com vítimas civis.

Ataques a festas de casamento têm acontecido durante os últimos anos no Afeganistão, embora na maioria dos casos as mortes tenham sido causadas pela detonação de explosivos colocados em estradas ou erros das forças de segurança, ao bombardear congregações por acreditar que eram reuniões de insurgentes.

Um dos maiores ataques no país durante um casamento ocorreu em 2010, quando um bombista suicida detonou os explosivos que levava numa cerimónia na província de Kandahar, no sul do país, matando pelo menos 40 pessoas e ferindo quase uma centena.