Importações dos EUA de petróleo da Venezuela afectadas pelas sanções de Washington

14 Fev 2019 / 06:13 H.

As importações norte-americanas de petróleo bruto proveniente da Venezuela desceram na semana passada, devido à introdução de sanções norte-americanas, revelou hoje a Agência de Informação de Energia dos EUA.

Dados divulgados hoje pela Agência de Informação de Energia (EIA) norte-americana revelaram que as importações de petróleo da Venezuela ascenderam aos 117.000 barris por dia na semana que terminou em 08 de fevereiro.

Trata-se de uma queda de 80% face aos 587.000 barris diários importados durante a semana que terminou em 25 de janeiro, o que significa que as importações norte-americanas de crude à Venezuela desceram para um quinto em duas semanas.

O Tesouro norte-americano impôs sanções à petrolífera venezuelana PDVSA, proibindo-a de negociar com entidades norte-americanas.

Mas em 2018 os Estados Unidos eram o principal cliente da Venezuela, importando, em média, 503.000 barris por dia, de acordo com a ClipperData.

As sanções impostas no final de janeiro pela administração norte-americana, em plena crise política com a Venezuela, juntaram-se a um nevoeiro persistente nas margens do Golfo do México, que limitou o número de remessas de crude que chegaram ao sul dos Estados Unidos.

No total, de acordo com os dados da AIE, as importações de petróleo dos Estados Unidos desceram para os 6,21 milhões de barris por dia na semana terminada em 08 de fevereiro, face aos 7,15 milhões de barris por dia na semana anterior. É o nível mais baixo desde 1997, de acordo com a AFP.

Além do nevoeiro e das sanções contra a Venezuela, as importações de petróleo norte-americanas foram afectadas pelo declínio das importações do Canadá e da Arábia Saudita que decidiram voluntariamente limitar as suas exportações para equilibrar o mercado petrolífero.

Outras Notícias