Escândalo leva à demissão de todos os ministros da extrema-direita austríaca

20 Mai 2019 / 19:25 H.

O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, anunciou hoje que vai demitir o ministro do Interior, Herbert Kickl, depois da transmissão de um vídeo comprometedor para o partido dele, FPO, que anunciou agora a renúncia de todos os seus ministros no governo de coligação.

Com o afastamento de Kickl, todos os cinco ministros do Partido da Liberdade da Áustria (FPO), de extrema-direita, que governa em coligação com o Partido Popular Austríaco (OVP), do chanceler Kurz, saem do executivo, por instrução de Norbert Hofer, ministro dos Transportes e recém-nomeado líder do FPO.

“Em sintonia com o Presidente da República, vou propor-lhe a demissão do ministro do Interior”, anunciou hoje Kurz, numa conferência de Imprensa, três dias depois da divulgação de um vídeo comprometedor para o FPO, que levou à demissão do vice-chanceler e líder do partido, Heinz-Christian Strache.

Nesse vídeo, Strache foi gravado a prometer a uma suposta sobrinha de um milionário russo a adjudicação de contratos públicos em troca de apoio financeiro, noticiou a imprensa.

Segundo informações divulgadas na sexta-feira por dois jornais alemães, o vice-chanceler demissionário foi filmado, por uma câmara oculta, a conversar com uma mulher, alguns meses antes das eleições legislativas austríacas de 2017, sobre a possibilidade de um apoio financeiro e mediático ao FPO em troca da adjudicação de contratos públicos.

O chanceler justificou a demissão de Kickl por considerar que, enquanto ministro do Interior, ele não poderia ficar a supervisionar a investigação ao seu colega de partido Strache.

Com a demissão de Kickl, o novo líder do FPO, Hofer, cumpre a promessa de determinar a saída de todos os ministros do FPO, fazendo cair a coligação governamental austríaca, que governa desde 2017, e obrigando a uma profunda remodelação do executivo de Kurz.

O chanceler austríaco, após a demissão do seu vice, Strache, já tinha anunciado eleições antecipadas para setembro, mas ainda não clarificou como governará até essa data.

A poucos dias das eleições europeias, que se realizam a 26 de maio, este escândalo está a abalar a extrema-direita austríaca e a coligação governamental liderada por Kurz.

O FPO é provavelmente o mais antigo partido de extrema-direita nacionalista da União Europeia, fundado em 1956 por um antigo oficial das SS e apresentando-se como nacionalista, conservador e eurocético.

Tópicos

Outras Notícias