Confraria Enogastronómica da Madeira abriu hoje Natal com a tradicional mas polémica ‘Função da Morte do Porco’

O vídeo foi editado para não ferir as sensibilidades. A questão continua a dividir opiniões. Márcio Ribeiro, da confraria, explica as mudanças realizadas para adaptar aos novos tempos

08 Dez 2019 / 11:49 H.

A Confraria Enogastronómica da Madeira abriu hoje a ‘Festa’ com a tradicional “Função da Morte do Porco”. O evento decorre sempre no feriado dedicado a Nossa Senhora da Conceição, no logradouro do Restaurante “As Vides”, seguido de um almoço natalício pelas 13h30 no salão paroquial da Igreja do Estreito de Câmara de Lobos.

“Com este acto, os confrades procuram avivar memórias ancestrais das nossas gentes, enquadrado-as nos tempos atuais, sendo a função acompanhada por um veterinário oficial e o animal é previamente atordoado de forma a evitar o seu sofrimento, a semelhança do que é realizado diariamente nos matadores”, explica a Confraria Enogastronómica da Madeira.

“Apesar deste convívio fraternal hoje em dia ir caindo em desuso, em tempos era um bem essencial para a sobrevivência e, para muitas famílias, a única forma de adquirir carne para um ano inteiro e para confecionar a celebre Carne Vinho e Alhos, esta sim, uma prática ainda bem enraizada, quer a carne venha da tradicional “Função da Morte do Porco”, quer venha do supermercado”.