Vários recordes meteorológicos do mês terão sido batidos na sexta-feira

Destaque para as temperaturas mínima (22ºC/Lido) e média mais alta (24,4ºC/Observatório e Lido), para amplitude térmica (2,4ºC/Caniçal) e taxa de humidade mínima (2%/Lido e Quinta Grande)

08 Dez 2018 / 10:43 H.

Além de ter batido o recorde da temperatura máxima mais alta (27,1ºC/Observatório) alguma vez registada, desde 1864, nos meses de Dezembro no Funchal, o registo meteorológico da (demasiado) quente sexta-feira na capital madeirense, muito provavelmente, terá batido outros recordes meteorológicos, a julgar não apenas pelos valores extremos da temperatura, mas também no que diz respeito à humidade relativa do ar.

No caso da temperatura, além do novo recorde histórico da máxima atingida no Funchal, o mesmo deverá ter acontecido em relação à temperatura mínima mais elevada, já que esta nas 24 horas do dia 7 não baixou dos 22,0ºC (Lido). Consequência do tempo quente anormal para a época, a temperatura média desta sexta-feira nas duas estações da rede meteorológica do IPMA na RAM localizadas na baixa do Funchal foi de 24,4ºC (Observatório: min. 21,7ºC/máx. 27,1ºC; Lido: 22,0ºC/26,8ºC).

Além destas, noutras quatro estações da rede de observação do IPMA situadas em diferentes áreas geográficas, ontem a temperatura média saldou-se num valor acima dos 20 graus. Tal verificou-se no Aeroporto da Madeira, na Quinta Grande, no Lugar de Baixo, no Porto Moniz e no Monte.

Igualmente significativo foram as variações da amplitude térmica. Enquanto no Caniçal a diferença entre a temperatura máxima e a temperatura mínima registadas entre as 00.00 e as 24.00 foi de apenas 2,4ºC (17,5ºC/19,9ºC), na Quinta Grande a variação térmica chegou a 10,6ºC (16,5ºC/27,1ºC).

Porventura mais relevante ainda foram os registos meteorológicos no Monte, não só pela escassa amplitude térmica de apenas 3,5ºC (20,0ºC/23,5ºC), mas também por ter sido a localidade com a mais baixa taxa média de humidade (12%) do dia. Ainda assim os extremos mais baixos da humidade relativa do ar foram registados nas estações do Lido e da Quinta Grande, com apenas 2%, razão pela qual a sensação térmica terá sido inferior à temperatura ambiente, ou seja, terá dado a impressão de que não estaria o calor que a temperatura registava.

O aposto mais acentuado verificou-se no Caniçal, com 90% de humidade média, a mais alta da rede meteorológica do IPMA na Madeira.

Ontem, terceiro dia de calor fora de época, só não foi batido o recorde absoluto da temperatura máxima registada na Região, que, recorde-se, é de 27,3ºC e foi atingido na quarta-feira, dia 5, no Lugar de Baixo.

Outras Notícias