Taxa de juro no crédito à habitação recua para níveis de há 4 meses

Na Madeira, o valor médio cobrado pela banca (1,027%) está abaixo da média nacional (1,057%). Os Açores continuam a ter a taxa mais baixa, inferior a 1%

19 Set 2019 / 14:00 H.

Em Agosto de 2019, a taxa de juro implícita no crédito à habitação na Região Autónoma da Madeira fixou-se em 1,027%, registando um decréscimo de 0,007 pontos percentuais face ao mês anterior (1,035%). De referir que em Agosto de 2018, a taxa era de 0,979%.

Segundo as contas da Direcção Regional de Estatística da Madeira, o valor médio da prestação vencida para o conjunto dos contratos de crédito à habitação manteve-se, contudo, nos 272 euros, tendo os juros se fixado nos mesmos 50 euros (o mesmo valor de Julho de 2019) e a amortização nos 222 euros (igual aos 222€ que no mês anterior). Em Agosto de 2018, o valor médio da prestação vencida era de 268 euros (220€ no capital amortizado e 48€ nos juros).

Uma vez que os valores são iguais, a justificação para a prestação média não ter baixado, aliás o montante do capital médio em dívida para os contratos de crédito à habitação subiu para 57.943 euros (57.919 euros em Julho de 2019) deve-se ao facto de haver mais novos contratos. Há um ano era ainda maior de 58.343 euros.

De referir que estes dois últimos meses (Julho e Agosto) são os meses em que, pela primeira vez em 10 anos e oito meses (desde Janeiro de 2009) que o montante do capital médio em dívida baixou para a fasquia dos 57 mil euros. No início da série estava nos 69.147 euros, ou seja mais de 11 mil euros acima do que, em média, uma pessoa com crédito à habitação deve à banca.

A nível nacional, e no conjunto dos contratos de crédito à habitação, a taxa de juro implícita situou-se em 1,077%, menos 0,010 p.p. que no mês anterior. A prestação média vencida para a globalidade dos contratos diminuiu para 247 euros, tendo o valor do capital médio em dívida aumentado para os 53.056 euros (52.954 euros no mês precedente), mantendo assim a tendência de subida que se verifica desde Março deste ano.

Refira-se que a média em dívida na Região Autónoma da Madeira é superior em cinco mil euros à do país, sendo os proprietários madeirenses os mais endividados.

Pelo contrário, os Açores são a região com as taxas mais baixas, inferior a 1% (a última vez que tiveram taxa de juro superior foi em Agosto de 2016, nos 1,005%), pagando uma prestação média 50 euros abaixo da dos madeirenses e tendo uma dívida global média inferior em cerca de 7 mil euros (50.898).