PSD vota contra triplicação do IMI aos prédios devolutos e critica “dualidade de critérios” da CMF

05 Dez 2019 / 15:20 H.

Os vereadores do PSD eleitos na Câmara do Funchal votaram hoje contra a triplicação do IMI aos prédios devolutos identificados pela autarquia no Município. Uma decisão que, no entender dos Social-democratas, “não contribui, só por si, para o alcance do objectivo da reabilitação urbana que é defendido pelo Executivo socialista e apenas representa mais um encargo para os Funchalenses”.

“Nós, PSD, consideramos que esta medida em nada visa o melhoramento destas habitações degradadas e devolutas, acabando por ser apenas mais uma oneração aos Munícipes detentores desses mesmos prédios”, reforçou, na ocasião, a vereadora Joana Silva, sublinhando “a falta de consistência de uma medida que a autarquia exige que os funchalenses, proprietários destes prédios, venham a cumprir já a partir do próximo ano, quando ela própria falha nos prédios que são da sua responsabilidade”.

“O Presidente de Câmara disse que vai proceder a todos os expedientes de forma a evitar a proliferação dos prédios devolutos e nós consideramos que o Presidente deve fazer isso mas deve, também, começar pelos seus próprios prédios e promovendo e ajudando os privados a fazerem o mesmo”, frisou, a este propósito, a vereadora social-democrata, aludindo ao caso da Confeitaria Felisberta – que se arrasta desde 2016 e que, anúncio após anúncio, continua por reabilitar – para frisar a “falta de coerência de um Município que exige aos outros o que não cumpre”.

“Perante esta dualidade de critérios, o voto do PSD só poderia ser contra”, rematou.