Projecto solidário da IOMT abrangeu 118 pessoas carenciadas

09 Out 2019 / 16:23 H.

O Instituto Oftalmológico Muñoz Trindade (IOMT) promoveu, pelo segundo ano consecutivo e no âmbito Dia Mundial da Visão, um ciclo de dois dias consultas gratuitas a doentes com poucos recursos. A novidade este ano foi a realização de cirurgia de catarata a 10 doentes, 8 dos quais tinham sido observados na iniciativa realizada ao ano passado.

Este ano o projecto solidário foi dividido em 2 partes, uma médica em que foi realizado consulta, exames auxiliares de diagnostico, tratamentos laser e prescritos óculos, e outra cirúrgica, onde foram realizadas 10 cirurgias de catarata.

À parte médica da iniciativa juntaram-se as óticas Alberto Oculista e Optic4All que ofereceram armações e lentes aos doentes observados, bem como a Óptica da Sé que ofereceu um desconto de 50€ em óculos. O IOMT disponibilizou o espaço, a sua equipa e os exames auxiliares de diagnostico, bem como os lasers.

À parte cirúrgica juntaram-se a Clínica da Sé, disponibilizando o seu bloco operatório bem como pessoal de enfermagem e auxiliares, e o Alberto Oculista que disponibilizará os óculos a estes doentes após a cirurgia, se necessários forem. Coube ao IOMT a tarefa de juntar a equipa cirúrgica e fornecer o material para cirurgia.

Foram observados doentes de várias instituições, nomeadamente o Associação Protectora dos Pobres, Caritas, Lar da Bela Vista, Lar da Paz, Paroquia da Graça, Investimentos Habitacionais da Madeira, Patronato de São Filipe e Centro da Mãe.

O projecto solidário consistiu em proporcionar a estes doentes uma consulta, onde se realizou entre outras coisas: biomicroscopia, tonometria, auto-refratometro, avaliação de acuidades visuais e fundoscopia (observação do fundo do olho). Sempre que necessário forma realizados exames auxiliares de diagnóstico específicos, nomeadamente retinografia, tomografia de coerência ótica (OCT), topografia, microscopia especular, ecografia ocular e fotografia do segmento anterior, com a finalidade de contribuir para prevenção, detecção precoce e conhecimento das doenças que possam levar a cegueira.

Foi ainda realizado todo o tratamento possível no mesmo dia da consulta, nomeadamente com a prescrição de óculos, medicação ou realização de lasers oftalmológicos, indo de encontro ao lema do Instituto que pretende que os doentes entrem com o problema e saiam com a solução nesse mesmo dia.

As cirurgias de catarata foram realizadas em regime de ambulatório na Clínica da Sé. A estes doentes foi realizado uma consulta pré-operatória com a realização dos exames necessários para a realização da cirurgia (biometria, microscopia especular, biometria e OCT). Foi ainda realizado uma consulta no dia seguinte à cirurgia e será realizada outra 1 mês após a cirurgia, onde se avaliará o resultado e se prescreverá óculos, caso seja necessário.

Foram observados 118 doentes das várias Instituições referidas, com idades compreendidas entre os 5 e os 86 anos. 21 doentes tinham idades inferiores a 18 anos. Neste grupo etário a patologia mais comum foram os erros refrativos (miopia, hipermetropia ou astigmatismo) que foram corrigidos com óculos. A maior parte destes doentes foram vistos pela nossa oftalmologista pediátrica, Sofia Freitas.

Os adultos (97 doentes) foram observados pelos outros 3 oftalmologistas, Fábio Trindade, Nuno Aguiar Silva e Mónica Franco.

A nível de patologias, a mais diagnosticada foi o erro refrativo, seja ele hipermetropia, miopia ou astigmatismo, bem como a presbiopia dos doentes com idade superior a 40 anos. Foram ainda diagnosticadas patologias da superfície ocular externa, como triquíase, blefarite e melanose da conjuntiva. Patologia relativa aos músculos extraoculares e neuro-oftalmologia como o estrabismo, insuficiência da convergência, nistagmo e ambliopia. E, finalmente, patologias em que o diagnóstico realizado pode realmente fazer uma diferença na qualidade de vida do doente, ou impedir a perda irreversível de visão, e que afectam o segmento anterior e posterior do olho, como: queratocone, catarata, glaucoma, membrana epiretiniana, degeneração macular da idade e neuropatia óptica isquémica.

Em resumo, vimos 118 doentes com idades compreendidas entre os 5 e os 86 anos, conseguimos evitar potencial perda irreversível de visão em 5 doentes, prescrevemos 67 pares de óculos, oferecemos cerca de 75 amostras de medicamentos (dos quais se destacam os suplementos vitamínicos e as lágrimas artificiais), realizamos 146 exames auxiliares de diagnostico (dos quais se destacam a retinografia e OCT) e efetuamos 1 laser YAG para limpar/destruir uma membrana que se opacifica por detrás da lente que se coloca na cirurgia de catarata. Operamos ainda a catarata a 10 doentes realizando as devidas consultas pré e pós-operatórias.

Por tudo isto o Instituto Oftalmológico considera esta iniciativa um êxito e não quer deixar de agradecer a toda a sua equipa que foi incansável na simpatia e profissionalismo com que atendeu todos estes doentes. Gostava ainda de agradecer às ópticas que a nós se juntaram e, a este nível, é da mais elementar justiça fazer um agradecimento especial ao Alberto Oculista que forneceu a grande maioria dos óculos prescritos durante a iniciativa. Um agradecimento também muito especial à Clínica da Sé que permitiu com que fosse dado mais um passo em frente, com a realização das cirurgias de catarata no seu espaço. Tendo isto em conta é nosso desejo que esta iniciativa se repita no futuro. Pedimos a todas as instituições interessadas em participar para estarem atentas a nossa página do Facebook: https://www.facebook.com/iomt.pt/.

Outras Notícias