Número de venezuelanos com título de residência na Madeira aumentou 63,9% entre 2017 e 2018

23 Jul 2019 / 15:55 H.

O aumento da população estrangeira residente na RAM (12,8%) em 2018 foi fortemente influenciado pelo regresso de emigrantes da Venezuela

Segundo os dados fornecidos pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), e agora divulgados pela Direcção Regional de Estatística, a população estrangeira residente na Região Autónoma da Madeira (RAM) a 31 de dezembro de 2018 totalizava 7 578 pessoas, representando um aumento de 12,8% face a 2017, distribuídas entre detentoras de títulos de residência (7 535) e de vistos de longa duração (43).

Os nacionais da Venezuela (21,0%), Reino Unido (13,2%), Brasil (10,9%), e Alemanha (6,6%) continuam a representar as principais comunidades estrangeiras a residirem na Região.

A nacionalidade venezuelana voltou a apresentar em 2018 um forte incremento (63,9%) no número de estrangeiros detentores de títulos de residência a residir na Região, tendo aumentado de 970 em 2017 para 1 590 em 2018, duplicando face a 2016 (703). O regresso de emigrantes da Venezuela foi de facto o principal impulsionador do aumento da população estrangeira registado entre 2017 e 2018, contribuindo com cerca de 72,3% para esse aumento.

É no Funchal que a população estrangeira continua a ter maior expressão (55,7% do total da Região), seguindo-se Santa Cruz (13,6%), Calheta (8,3%) e Porto Santo (3,9%). Por género, há uma ligeira preponderância do sexo feminino (51,7%) sobre o masculino (48,3%).

Outras Notícias