NÓS, Cidadãos! questiona secretário da Educação sobre lentidão na avaliação dos professores

16 Mar 2019 / 16:58 H.

Por intermédio de um comunicado hoje dirigido à imprensa, o NÓS, Cidadãos! questionou o secretário regional, Jorge Carvalho, da Educação sobre a lentidão no processo das avaliações dos docentes da Região.

“Foi em Dezembro de 2017 que o actual Secretário Regional da Educação, Jorge Carvalho, se comprometeu com um processo de contagem integral do tempo de serviço prestado, nos dois períodos de congelamento das carreiras, pelos educadores e professores em exercício de funções na RAM (os famosos 9 anos, 4 meses e 2 dias), assim como a ‘adopção de medidas que contrariem o envelhecimento do corpo docente, erradicação da precariedade no sistema educativo, melhoria das condições de trabalho e aprovação de um modelo de concurso justo’. Passado que está metade do mês de Março de 2019, e cerca de 440 dias após o descongelamento na função pública (a 1 de janeiro de 2018), um conjunto bastante ampliado de professores da Região não sentiram ainda o descongelamento nas suas carreiras, o qual se concretiza com a progressão ao escalão seguinte e o devido acréscimo salarial”, expõe o NÓS, Cidadãos!

O partido alega que alguns professores da Região relataram ao NÓS, Cidadãos!, que a operacionalização do processo em curso de avaliação de desempenho docente “não foi suficientemente participada e aclarada aos docentes, é aparentemente pouco transparente e está a ser excessivamente morosa”.

Foi também referido que algumas escolas ainda aguardam as listas actualizadas dos docentes que transitam na carreira em 2019, com a recuperação anual de 545 dias prevista para este ano, e que só agora os avaliadores internos começaram a proceder à avaliação dos professores que completam o tempo de serviço para progredir até 31.8.2019, sendo que o processo de avaliação dos que completaram o tempo de serviço para progredir até 31.8.2018, só foi finalizado em finais de Fevereiro do presente ano.

Assim, o Partido NÓS, Cidadãos! pergunta ao secretário regional da Educação “quanto tempo mais terão os educadores e professores da RAM de esperar para ver efectivada parte da promessa feita em 2017?”

Outras Notícias