“Não há tempo para politicadas quando se trata da protecção civil”, diz Albuquerque

18 Mai 2019 / 13:44 H.

O presidente do Governo Regional afirmou esta manhã, durante as comemorações do Dia do Bombeiro, que aconteceram na Calheta, que “não há tempo neste momento e nem é admissível teatros, simulacros ou politicadas quando se trata da protecção civil”, uma declaração entendida no local como sendo um recado aos que criticaram a sua ausência por estar de férias no Dubai quando ocorreu o acidente no Caniço que resultou em 29 mortos. “Não estou aqui para brincar à política nem aos partidos”, expressou o governante, acrescentando ser o “primeiro responsável por qualquer coisa que aconteça, de bom ou de mau nesta Região”.

“Não ando a culpar os operacionais e os bombeiros quando algo acontece” e muito menos, garantiu, não andar com “desculpas” ou referir que não conhece a realidade protecção civil”, pelo contrário, atestou: “Conheço muito bem a realidade dos nossos bombeiros tanto que prometeu não parar de investir no sector justamente pelo facto da protecção civil exigir da parte dos responsáveis “confiança”, “segurança” e “responsabilidade”, três termos ou “valores fundamentais” usados para enaltecer o serviço e reconhecimento das funções dos bombeiros.

Antes, Miguel Albuquerque foi homenageado pela Federação dos Bombeiros com o Crachá de Cidadania e Mérito, uma distinção que reconhece o papel do governante nos mais diversos domínios, mas sobretudo no capítulo da valorização das carreiras e do financiamento das corporações, sublinhou presidente da Federação.

Outras Notícias