“Não brinquem connosco, porque não somos parvos”, diz Ricardo Franco

21 Set 2019 / 17:30 H.

O presidente da Câmara Municipal de Machico, Ricardo Franco, reage ao gestor do PRODERAM, Marco Gonçalves, dizendo que “nada tem de surpreendente nem estava à espera de outra coisa, que não fosse à alusão de critérios”.

Mas convenhamos, e não nos venha o Sr. Director do PRODERAM dizer o contrário, estas decisões, baseadas nos tais critérios que alude, estão sempre, como todos sabemos, sujeitas a razões de carácter político, portanto têm muito de decisão política”, afirma.

Acrescenta que “toda a argumentação é válida quando dá jeito reprovar determinadas candidaturas. Mais ainda, quando os decisores do PRODERAM, ou seja, o Governo Regional, são uma espécie de juiz em causa própria”.

“Portanto, estas explicações pseudo-criteriosas não passam de pura retórica”, afirma.

Questiona se “nenhum caminho agrícola apresentado por Machico merece a concordância destes decisores” e “onde pára o compromisso do Sr. Presidente do GR quando, no Dia do Concelho de Machico de 2018, afirmou e garantiu que Machico seria contemplado com a aprovação de caminhos agrícolas – nem que fosse apenas um – a exemplo do que sucederia com os restantes municípios da Madeira”.

“Já agora, que critérios são esses dos responsáveis gestores do PRODERAM que reprovam os projectos agora apresentados por Machico, mas que aprovaram a candidatura de uma conhecida associação de agricultores destas bandas, designada por “Década Urgente”, contemplada com cerca de 1,6 Milhões de euros para beneficiação e pavimentação de um caminho agrícola já existente, no sítio das Feiteiras – Banda Dona Maria, na freguesia do Caniçal, cuja obra está parada há mais de um ano, havendo, inclusivamente, relatos de proprietários de terrenos que já apresentaram queixa na polícia, contra essa tal associação, por invasão de propriedade”, acrescenta.

“Será que os critérios que presidiram à aprovação desse projecto tem a ver com o facto dos responsáveis dessa associação serem dirigentes e individualidades ligadas ao PSD-Machico ao presidente do GR”, questiona, atirando em jeito de conclusão: “Não brinquem connosco, porque não somos parvos”.

Outras Notícias