MPT diz que negócio do lixo é “ruinoso” para a CMF

12 Jun 2019 / 14:20 H.

Através de um comunciado de imprensa, o MPT revela que teve conhecimento de que existem empresas de recolha de lixo particulares que são pagas por diversas entidades, nomeadamente pelos hotéis, sendo que “este serviço prestado por estas empresas é muito bem pago”.

“Estas empresas de recolha de lixo, bem como viaturas de outros concelhos vêm depositar o lixo na estação de recolha dos Viveiros, que pertence à CMF. A grande questão é que os resíduos depositados nos Viveiros têm de ser enviados para a Meia Serra e para lá depositar os mesmos tem que ser pago e bem pago, mas quem paga? Claro que é a CMF”, diz.

Afirma ainda que “este é um negócio de milhões, onde a CMF fica com o encargo de todas as despesas.

Na semana passada, celebraram a semana do ambiente, mas não havia razões para o fazer, sendo que “as maiorias das viaturas eléctricas da CMF estão paradas algumas avariadas, mais de metade da frota de recolha do lixo está avariada e à espera de peças e a recolha é feita por particulares, com ajustes directos, onde a CMF fica penalizada, supostamente beneficiando alguns”.

“Resumindo, o negócio do lixo é altamente rentável para as empresas particulares, que depositam o lixo na CMF sem pagar nada e ruinoso para a CMF que depois terá de pagar e bem para entregar o lixo na estação da Meia Serra”, acrescenta, concluindo que “o povo do Funchal não pode nem deve pagar para que se alimente os devaneios do Presidente e que resta saber quem são os verdadeiros benificiários destas negociatas”.

Outras Notícias