MPT denuncia “fraudulenta má gestão” da empresa ‘Frente Mar’

12 Dez 2018 / 09:26 H.

Num comunicado hoje dirigido à imprensa, o MPT-Madeira aborda os mais de quatro anos consecutivos de da empresa municipal ‘Frente Mar’, criticando a “fraudulenta má gestão” do actual executivo camarário fuchalense.

“A única justificação [para os prejuízos] é que a empresa municipal ‘Frente Mar’ serve de máscara para os devaneios que imperam na Câmara Municipal do Funchal”, acusa o Partido da Terra, dizendo também saber que “a ‘Frente Mar’ é um ninho de emprego para Job for de Boys, onde se pagam salários acima da média para satisfazer a clientela”.

“O Partido da Terra tem a absoluta certeza que existe uma fraudulenta má gestão nesta empresa municipal, com excessivos recursos humanos que ninguém sabe o que lá fazem, projectando a ‘Frente Mar’ para perdas anuais na ordem dos 300 mil euros, nos quais o executivo está verdadeiramente implicado até ao pescoço, o que de certa forma os empurra para a total falta de transparência”, reitera a mesma nota.

Assim, “para o MPT-Madeira, o Tribunal de Contas deveria ser mais proactivo, quando este já apurou, que metade das empresas municipais têm saldos deficitários e negativos, ao ponto de não conseguirem ter liquidez para pagar salários, como é o caso da ‘Frente Mar’, mesmo tendo a receita das explorações à beira mar e os parquímetros”.

“Estas empresas municipais foram criadas para introduzir uma gestão rigorosa nas autarquias, sendo estas responsáveis por cobrir estes prejuízos desgovernados e neste sentido as Finanças podem e devem ordenar a extinção destas empresas municipais, que sistematicamente dão prejuízos, mesmo que para isso, o Governo tivesse que pedir à Inspecção-Geral de Finanças para forçar a dissolução da ‘Frente Mar’ que reiteradamente está comprometida com os prejuízos que depois são reportados no Orçamento Camarário, prejudicando o município e todos os munícipes do Funchal”, concluiu o MPT.

Outras Notícias