Miguel Silva Gouveia defende que os municípios devem ter mais competências para potenciar a economia do mar

13 Fev 2019 / 17:09 H.

O Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, foi um dos convidados da 9.ª edição do LEME – Barómetro PwC da Economia do Mar em Portugal, um evento organizado pela PricewaterhouseCoopers, uma das maiores empresas de consultoria do mundo, que teve lugar no Comando Operacional da Madeira.

Miguel Silva Gouveia foi um dos oradores no painel dedicado à ‘Estratégia de Internacionalização da Economia do Mar na Madeira’ e salientou o contributo do Município do Funchal para a mesma, “através da investigação científica e do investimento vertido na educação e na sensibilização, potenciados pela grande variedade de projectos de profundo interesse ambiental e económico que são liderados pelo Departamento de Ciência da CMF, um caso único no país, e pela Estação de Biologia Marinha do Funchal”.

O autarca aludiu, igualmente, à “recente requalificação do Cais do Carvão, como uma intervenção de valor acrescentado para a Estação de Biologia Marinha do Funchal, onde passarão a ser organizadas acções de promoção do património cultural marítimo”. “Naquela que é a área de intervenção da autarquia, temos tratado sempre o mar do Funchal como uma mais-valia, numa dimensão educacional, sustentável e de zelo”, acrescenta.

No encerramento da conferência, o Vice-Presidente reforçou “os deveres e as responsabilidade das entidades públicas nesta matéria, seja através da promoção do conhecimento, área em que o Funchal segue na linha da frente a nível nacional, seja em termos da análise do impacte causado pelas intervenções das entidades públicas na frente mar, seja, finalmente, no que concerne à descentralização de competências que se impõe”, manifestando a vontade e a disponibilidade do Funchal para ter um papel mais interventivo, nomeadamente na gestão marítimo-portuária e nas áreas de frente mar.