Miguel Albuquerque visita Centro de Saúde da Calheta

17 Out 2019 / 15:45 H.

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã, 18 de Outubro, pelas 11 horas, o novo centro de saúde da Calheta, que se encontra actualmente em obras, devendo estar concluído no início de 2020.

O dono da obra é a Santa Casa da Misericórdia da Calheta, que acordou com o Governo Regional, através de protocolo, a execução da empreitada, orçada em 3.382.624,94 euros, comparticipados pelo IDR em 85% e em 15% pela Misericórdia.

Segundo nota da presidência do Governo Regional, a área do terreno ocupado pelo Centro de Saúde da Calheta é de 3.791,00 metros quadrados e o novo centro será composto por dois edifícios.

Neste momento, estão praticamente concluídos os trabalhos de demolições, picagens e movimento de terras, faltando somente os inerentes aos arranjos exteriores do edifício.

Estão também concretizadas, a nível do interior do edifício, as infraestruturas de água, esgotos, electricidade, telecomunicações, segurança e incêndio.

No interior, estão em execução os revestimentos de paredes, pavimentos e tetos. já a nível do exterior do edifício, e no que concerne ao bloco sul (local onde ficarão localizados os novos gabinetes médicos), está realizada a estrutura de LSF (light steel framing – sistema construtivo em que o aço é o principal material estrutural) bem como o recobrimento com painéis OSB, garantido o conforto térmico e acústico definido em projeto.

No bloco norte (onde se localiza o internamento e as consultas médicas) está concluída a nova cobertura.

De acordo com a mesma nota, para dotar o Serviço de Urgências com os espaços e meios técnicos apropriados, para todo o tipo de serviços a prestar, e por forma a garantir um bom atendimento à população, verificou-se a necessidade de acréscimo de um gabinete médico, de uma sala zero, de um recobro/unidade de cuidados pós anestésicos, com capacidade para duas crianças, de um espaço para tratamento dos sujos e de uma arrecadação de limpos.

Por outro lado, e por forma a tornar este serviço mais funcional, confirmou-se a existência de espaços que serão deslocados deste serviço para o serviço de consultas, particularmente o gabinete da Terapia da Fala e o de Psicologia, que serão integrados próximo das salas de Terapia Ocupacional e de Fisioterapia, ambas localizadas, como já referido, no 1.º piso do segundo edifício.

Também o arquivo da secretaria será mudado para junto da secretaria e do espaço de atendimento/trabalho administrativo, a adicionar no novo 2.º piso, sendo o espaço existente ocupado pelo recobro das crianças.

A área de consultas e de atendimento directo à população, anexa ao Serviço de Urgências, devido à necessidade de aumento de espaços, será transferida em parte para um segundo piso, a acrescentar sobre este primeiro edifício.

Neste novo andar, serão criados uma nova sala de tratamentos e quatro gabinetes médicos, para além do gabinete de Psicologia e do gabinete de Nutrição e ainda quatro enfermarias a funcionar em simultâneo, devidamente preparados para o efeito, para além de um gabinete para a enfermeira chefe, de uma sala de reuniões e de formação, de um novo espaço administrativo/atendimento, de uma sala de espera e de todos os compartimentos de apoio necessários ao bom funcionamento do serviço de consultas.

Somente pretende-se manter, no 1.º piso do edifício junto às Urgências, mas na área actual de consultas, a sala de tratamentos e uma enfermaria, criando-se entre estes dois espaços, uma sala de tratamento e embalagem de sujos.

Quanto ao piso reservado ao internamento, (cuidados continuados), este apresenta-se dotado de todos os serviços funcionais e sociais imprescindíveis ao bom funcionamento desta unidade de alojamento continuado.

Todo este complexo terá assegurado o acesso de pessoas com mobilidade reduzida com segurança, facilidade e sem barreiras arquitetónicas, sendo esta acessibilidade garantida por uma rede de espaços que estarão interligados por percursos acessíveis e protegidos, assim como uma ligação entre os diversos pisos através de escadas ou de elevadores.

De acordo com a presidência do Governo, o Centro de Saúde da Calheta é um dos 16 Centros de Saúde remodelados na legislatura que agora terminou, teno o GR investido mais de 10 milhões de euros na remodelação, construção e melhorias na rede de Centros de Saúde existentes na Região Autónoma da Madeira, desde 2015.

Todo este investimento insere-se na política de humanização dos cuidados de saúde primários levado a cabo por este governo, desde o início da sua legislatura, com especial enfoque no utente e nos seus profissionais de saúde.

O próximo Centro de Saúde a iniciar obras de melhoria, já programadas, é o Centro de Saúde do Arco da Calheta através de um investimento na ordem dos 500 mil euros.

Na Calheta, remodelou-se ainda o centro de saúde do Jardim do Mar.

Importa igualmente relembrar que, em virtude da transferência dos serviços de saúde do centro de saúde da Calheta para o centro de Saúde dos Prazeres, também este último teve de ser readaptado para dar uma resposta integral à população da Calheta.