Menos desemprego registado no final de Março de 2019

Quebra de 1,2% face a Fevereiro e de -5,5% face a Março do ano passado

22 Abr 2019 / 11:48 H.

O desemprego registado na Madeira no final do mês de Março de 2019 atingia 16.311, número que diminuiu 1,2% face ao mês anterior (16.514) e assinala uma quebra de 5,5% face ao mesmo mês do ano passado (17.265).

No final do terceiro mês deste ano, comparativamente com a outra região autónoma, a Madeira tinha mais do dobro de desempregados registados que os Açores (7.624), embora tenha registado uma quebra maior face a Fevereiro (nos Açores caiu 0,5%), comparativamente ao mês homólogo a quebra no arquipélago vizinho foi de 11,5%.

A nível nacional, segundo dados divulgados há pouco pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, “estavam registados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 333.776 indivíduos desempregados, número que representa 67,5% de um total de 494.666 pedidos de emprego” e acrescenta: “O total de desempregados registados no País foi inferior ao verificado no mesmo mês de 2018 (-59.559; -15,1%) e, no mesmo sentido, ao mês anterior (-8 926; -2,6%).” Ou seja, em qualquer dos dois cenários, a Madeira não acompanha a média nacional.

Diz ainda o IEFP que “para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2018, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para os homens, os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos, os inscritos há um ano ou mais, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o 1º ciclo básico”.

No caso da Madeira e dos dados disponíveis, destaque para as ofertas de emprego no final do mês que diminuíram ligeiramente (-3%) para 295, mas drasticamente (-11,1%) face a Março de 2018. As ofertas de emprego recebidas ao longo do mês caíram para 240, significando -6,6% e -9,4%, respectivamente face a Fevereiro deste ano e Março do ano passado.

O número de novos inscritos no desemprego ao longo do mês também diminuiu para 1.030, seja comparado com o mês anterior (-11,7%) seja face ao mês homólogo (-16,5%).

As colocações de desempregados pela via oficial no mercado de trabalho ascenderam a 151, um aumento ligeiro face ao mês imediatamente anterior (+0,7%), mas significaram uma quebra importante (-9,6%) em relação ao mesmo mês de há um ano.

Outras Notícias