Madeira obteve 491 pontos no relatório internacional sobre literacia de leitura

Já os Açores pioram no relatório PISA, mas Governo Regional desvaloriza

05 Dez 2019 / 15:36 H.

Os Açores registaram dos piores resultados em Portugal no relatório PISA (Programme for International Student Assessment), tanto em leitura, como em ciências e matemática, piorando em relação a 2015, embora o Governo Regional desvalorize os dados.

Portugal manteve-se acima da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que produz o relatório, nos três domínios desde 2015, mas o arquipélago dos Açores encontra-se muito abaixo da média nacional, afastando-se mesmo face à média de 2015, nos três domínios em avaliação.

De acordo com o relatório PISA (que se realiza de três em três anos), Portugal obteve 492 pontos em literacia de leitura, cinco pontos acima da média da OCDE (487), enquanto a Madeira obteve 491 e os Açores apenas 443, o pior resultado do país.

Em ciências, Portugal obteve 492 pontos, mais três que a média da OCDE (489), a Madeira ficou-se pelos 482 e os Açores somente 454, apenas acima dos resultados do Alto Alentejo e do Baixo Alentejo, distanciando-se também da média nacional.

Em matemática, Portugal atingiu 492 pontos, mais três que a média da OCDE (489), a Madeira 483 e os Açores apenas 446, ficando só à frente dos resultados registados no Alto Alentejo.

Confrontado com estes números, o secretário regional da Educação e Cultura do executivo açoriano, Avelino Meneses, admitiu que os resultados “não são positivos”, mas desvalorizou as estatísticas, lembrando que a tendência registada nos Açores não foge muito à de outros países.

“Efetivamente, não são resultados positivos, todavia, são resultados que se enquadram numa descida verificada no ocidente”, recordou o governante, referindo-se “ao caso singular da Finlândia”, o caso da própria OCDE e até mesmo o caso de Portugal que, comparativamente a 2015 “recuou em literatura e ciências e estagnou a matemática”.

Nos Açores, foram avaliadas no relatório PISA apenas oito das 49 escolas e somente 137 dos 2.118 alunos com 15 anos de idade, uma amostragem que Avelino Meneses considera ser “reduzida” e como tal, entende que “não pode ser muito fidedigna”.

O PSD/Açores já anunciou, entretanto, que vai requerer um debate parlamentar de urgência, na próxima semana, na Assembleia Legislativa Regional, sobre os “dececionantes” resultados do arquipélago nos testes PISA.

O PISA é um estudo trienal que avalia as literacias de alunos de 15 anos de idade em leitura, ciências e matemática.

A avaliação incide sobre conteúdos curriculares, mas apenas o nível de preparação dos jovens para entrar na vida ativa ou prosseguir estudos superiores, à medida que estes se aproximam do fim da escolaridade obrigatória.

Em Portugal participaram 276 escolas, 5.932 alunos e 5.452 professores de todas as regiões do país.