João Pedro Vieira: “O PS continua a ser o partido que merece maior confiança dos eleitores”

Secretário-geral do PS-M desvaloriza resultado na Região atendendo à amostra muito reduzida. Ainda assim destaca o “empate técnico”

16 Mar 2019 / 17:43 H.

“O barómetro tornado público continua a dar força, motivação e responsabilidades acrescidas ao PS”. Foi desta forma que João Pedro Vieira, secretário-geral do PS Madeira começou por reagir ao resultado do Barómetro Político da Eurosondagem/Montepio sobre as eleições para a Assembleia da República, hoje divulgado na edição impressa do DIÁRIO.

“Este barómetro indica que o PS continua a ser o partido que merece maior confiança dos eleitores, como resultado da sua actividade governativa”, prosseguiu, referindo-se às intenções de voto em todo o país, que dá ao PS 12% de avanço sobre o PSD e a garantia de maioria absoluta ao trio da ‘Geringonça’ (PS/BE/CDU).

De acordo com o estudo, se as eleições Legislativas Nacionais fossem hoje o PS (37,3%) venceria com confortável vantagem sobre o PSD (25,2%). O Barómetro Político da Eurosondagem/Associação Mutualista Montepio dá ainda maioria absoluta à esquerda unida. PS, BE e CDU somam 52,5%.

Na estratificação por regiões, o PS registaria o pior resultado na Madeira. A projecção dá aos social-democratas 34,2% e 31,6% aos socialistas, sendo que a diferença entre ambos é inferior ao erro máximo da amostra. Contudo, conforme esclarece a notícia, há a ter em conta que a quota das mesmas nesta amostra não é, nem poderia ser, significativa. Neste primeiro barómetro há 48 entrevistados que votam na Madeira e que representam apenas 4,7% no estudo.

Isso mesmo regista o também autarca socialista João Pedro Vieira. “É muito difícil valorizar os resultados relativos à Região, atendendo à amostra muito reduzida - 38 respostas em 48 inquiridos -, que não é representativa. Ainda assim, apesar de todo o discurso feito contra o PS e o Governo da República, atendendo à margem de erro existe um empate técnico entre PS e PSD e a percentagem eleitoral atribuída ao PS continua a ser sinónimo de que os madeirenses e porto-santenses reconhecem o trabalho que tem sido desenvolvido”, destaca.

Em jeito de conclusão, o dirigente do PS-M deixa a garantia: “Vamos continuar o nosso caminho, de trabalho em prol de um projecto que pretende mudar a Região e continuar a mudar o país”, concretizou.