Humberto Vasconcelos fala em “desnorte” na Câmara do Porto Moniz

13 Dez 2018 / 20:43 H.

O secretário da Agricultura e Pescas emitiu um comunicado como resposta às declarações do presidente da Câmara do Porto Moniz, que o acusa de ser mentiroso. No cerne desta ‘guerra’ está uma alegada recusa, por parte da autarquia, para que os seus funcionários participassem numa formação.

“A Escola Agrícola da Madeira realizou um curso de Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos para todos os agricultores do Porto Moniz e não para a câmara em particular. Contudo existiram alguns trabalhadores que mostraram interesse em obter a formação e pediram dispensa do serviço. Essa solicitação foi negada por parte de elementos da câmara pelo que o actual presidente deve-se informar juntos dos seus adjuntos porque o fez”, afirma através de comunicado.

Humberto Vasconcelos considera “leviano” o comunicado de Emanuel Câmara, acrescentando que este “revela bem o desnorte da sua presidência, pelo que urge que acompanhe mais de perto situações importantes para o seu concelho”. “As palavras da maneira como foram proferidas mostram bem a pessoa que as profere”, atira.

O secretário afirma ainda que “esta situação, à semelhança da anterior, em que alegadamente não receberam convites enviados, são sintomáticas e reveladoras do desnorte que reina naquela câmara municipal, que lesa de sobremaneira o Povo do Porto Moniz”.

Outras Notícias