Há 4 anos, DIÁRIO publicava estudo de opinião indicando que o PSD-M estava à beira da maioria absoluta

Em 2015, Miguel Albuquerque, então recém-eleito presidente do partido (sucedendo a Alberto João Jardim), depois de umas eleições internas concorridas, caminhava rumo a uma vitória nas Regionais desse ano

15 Mar 2019 / 15:00 H.

Um estudo de opinião realizado, na época, pela Eurosondagem para o DIÁRIO e TSF, indicava que o PSD-Madeira, que tinha então um novo presidente (Miguel Albuquerque), voltaria a vencer as eleições Regionais de 2015, com 22 ou 23 mandatos, ou seja, muito perto de reeditar as maiorias absolutas de Jardim.

O PSD-Madeira surgia assim com uma maioria de intenções de voto, com quase o dobro das preferências em relação à segunda candidatura mais bem colocada, a da coligação ‘Mudança’, liderada então por Victor Freitas. As estimativas apontavam para que os sociais-democratas conquistassem 22 a 23 dos 47 mandatos em disputa.

O estudo de opinião realizado entre 9 e 12 de Março de 2015 revelava ainda que apenas 4 das 11 candidaturas que disputavam as Regionais de 2015 não estavam em condições de eleger deputados.

Segundo esse estudo, as 10 forças partidárias apareciam com probalidade elevadas de ter assentos parlamentar na legislatura.

O que a concretizar-se, nessa época, seria inédito. Como se sabe, o PSD-Madeira acabaria por conquistar a maioria absoluta, surgindo o CDS e o JPP logo a seguir, seguindo-se o PS e os restantes partidos: BE, CDU, PTP e o PND (entretanto extinto).

Outras Notícias