“Deve haver empreendedorismo também na área cultural”

08 Dez 2018 / 13:00 H.

Eduardo Leite, gestor e professor da Universidade da Madeira (UMa), foi um dos convidados do debate ‘Que Cultura queremos’, inserido nos Estados Gerais do Partido Socialista-Madeira, que está a decorrer este sábado (8 de Dezembro), na Junta de Freguesia de São Pedro, no Funchal.

O orador fez uma alocução sobre aquilo que se pode fazer em termos de empreendedorismo também na área cultural.

Tal como referiu o docente universitário, “vivemos um tempo de crescimento rápido, de mudanças repentinas, em que nada é garantido e, portanto, mesmo dentro da Cultura, temos de pensar no aspecto de empreender”.

O prelector abordou os índices de empreendedorismo em Portugal e evidenciou alguns indicadores que devem ser melhorados. Segundo afirmou, não obstante o nosso país ter vindo a acolher a ‘Web Summit’, “ainda estamos atrasados em algumas variáveis”.

“Nós ocupamos, em termos de classificação mundial, o 31.º lugar no campo do empreendedorismo”, pelo que “ainda há muito para fazer e muito para inovar”, sustentou.

Segundo Eduardo Leite, os tempos mudaram e um aluno que entra hoje na Universidade, seja em que área for, desde a Saúde, à Cultural ou Economia, “não pode estar à espera de o mercado ter um trabalho à sua espera e depois trabalhar durante toda a sua vida até se reformar”.

“Hoje, o estudante tem de ser responsável pela criação do seu próprio emprego e há uma série de instrumentos, de metodologias que podem facilitar essa entrada no mercado de trabalho”, vincou.

O gestor e professor da UMa deu o seu próprio exemplo, referindo-se a uma editora científica que criou quando chegou à Madeira, destacando que, neste momento, a mesma conta com uma plataforma já com cerca de 6 mil seguidores investigadores de língua portuguesa espalhados pelo mundo.

Evidenciando a quantidade e qualidade de recursos humanos que temos dispersos pelo mundo, o orador considerou ser necessário começar a despertar a sua atenção e criar condições de o nosso País os reter e “não os convidar a emigrar”.

Além de Eduardo Leite, esta iniciativa tem ainda como oradores convidados Susana Goulart da Costa (directora regional da Cultura dos Açores), Mafalda Sebastião (coordenadora do Pólo Cultural Gaivotas da Câmara Municipal de Lisboa) e Rui Dantas Rodrigues (realizador e fundador de Terminal 7).