Chumbo ao orçamento do Funchal não foi uma decisão do JPP mas uma deliberação unilateral do deputado municipal

02 Dez 2019 / 17:16 H.

Relativamente ao desfecho de hoje, sobre a votação do Orçamento da Câmara Municipal do Funchal, o secretário-geral do JPP clarifica, através de um comunicado de imprensa, que o chumbo ao orçamento do Funchal não foi uma decisão do JPP, mas uma deliberação unilateral do deputado municipal.

“Os deputados municipais do Movimento JPP gozam de autonomia e de independência para ajuizar as matérias de índole municipais, de forma mais incisiva”, diz, acrescentando que “o prejuízo das deliberações recai sobre os próprios quando as votações contradizem a pratica do Movimento noutras áreas geográficas, como foi o caso da derrama”.

Diz ainda que “no sentido a clarificar qualquer juízo de matéria sobre a interferência dos órgãos da direcção do JPP no voto (contra) do deputado municipal sobre o Orçamento da Câmara Municipal do Funchal), reitera-se que a decisão foi única e exclusivamente unilateral, sem consulta prévia aos órgãos do Movimento”.

“Deste modo, o JPP tem plena consciência do alcance das expectativas dos funchalenses sobre esta matéria, anotando de forma clara que há necessidade de separar o “trigo” do “joio”, sem por em causa o interesse das populações”, concluiu.