Águas do Funchal têm nova sede em Santa Maria Maior

01 Out 2019 / 14:27 H.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, inaugurou esta manhã, a nova sede das Águas do Funchal, um edifício inteiramente reabilitado na freguesia de Santa Maria Maior, onde já funcionou a antiga Escola Básica do 1º Ciclo Aspirante Mota Freitas.

A reabilitação do edifício representou um investimento municipal de 190 mil euros e passará a albergar toda a logística do novo departamento: os serviços administrativos, o atendimento ao público e os serviços técnicos das diversas divisões, nomeadamente, divisão de distribuição de água, divisão de águas residuais urbanas, divisão comercial e administrativa, divisão de planeamento, controlo e inovação e a unidade de eficiência energética.

Miguel Silva Gouveia enalteceu a visão estratégica clara e os passos concretos dados nos últimos anos no sentido de chegar a esta meta, considerando que “este é um projecto com futuro e os trabalhadores do sector da águas, que durante muitos anos sentiam-se como o parente pobre da CMF, vêem hoje o seu papel fundamental ser reconhecido, rumo ao desenvolvimento sustentável, quer a nível ambiental, quer económico, do Município do Funchal.”

Hoje, dia 1 de outubro, assinala-se o Dia Nacional da Água, “e este é para as Águas do Funchal o início de um novo ciclo, cumprindo com mais e melhores ferramentas aquela que é uma competência natural dos Municípios. Este é um novo ciclo orientado para a satisfação dos nossos clientes, que são todos os munícipes do Funchal, e são a principal razão porque estamos aqui, e de um novo ciclo em termos de investimento e de capacitação dos recursos humanos e materiais da CMF.”

Em termos de orientação para o cliente, o presidente destacou, desde logo, a criação de um ‘Contact Center’ que funciona sete dias por semana, e medidas no âmbito da Modernização Administrativa, onde se evidencia a nova aplicação móvel do Município, que permite, entre outros, a comunicação de leituras on-line, notificações em tempo real de intervenções nas redes de água e a utilização da plataforma Funchal Alerta.

No campo dos investimentos, Miguel Silva Gouveia sublinhou “um plano que ascende a 20 milhões de euros, com destaque para a nova ETAR do Funchal, para a substituição das antigas redes de água em fibrocimento e, finalmente, para um inovador sistema de telegestão, que transformará a forma como a Autarquia detecta derrames de água em tempo real, abrindo um novo paradigma mais planificado e inteligente, que resolva este problema histórico.”

Finalmente, em termos de recursos humanos, o Presidente anunciou a admissão de novos colaboradores para as Águas do Funchal, dos cerca de 100 atuais para 150 até ao final do mandato, “num investimento que permitirá a essencial transmissão de conhecimento intergeracional, porque o conhecimento não fica no Executivo, o conhecimento deve ficar com todos vós, como um ativo da CMF, a partir de um corpo técnico forte, operacional, capaz e competente.”

Miguel Silva Gouveia concluiu a inauguração da nova sede, símbolo da aposta em novos recursos materiais, desejando que “esta seja uma casa para os trabalhadores, um espaço amigo para os nossos clientes e um quartel-general para a luta sem tréguas pela sustentabilidade ambiental que o Funchal vai assumir nos próximos anos”, concluiu.

Outras Notícias