“Senhor secretário faça um favor à Madeira: peça a demissão e vá fazer o que sabe (vender remédios)”

24 Jan 2020 / 20:59 H.

“Senhor secretário faça um favor à Madeira: peça a demissão e vá fazer o que sabe (vender remédios)”. É desta forma que o antigo deputado social-democrata, Agostinho Gouveia adere à onda de indignação sobre a criação e expansão de zonas de aquacultura na Região anunciada pelo secretário regional das Pescas, Teófilo Cunha.

A declaração ganha mais impacto por ter sido escrita na página oficial do facebook do Governo Regional. O antigo parlamentar social-democrata e opositor à instalação de jaulas para a produção de peixe em cativeiro acrescentou ainda que “na ganancia de ter um cargo aceitou uma rasteira que o PSD lhe ofereceu e a primeira medida que tomou pública foi a de prejudicar a costa oeste para ajudar alguns amigos sabendo que esta actividade não tem benefício para a Madeira”.

Uma afirmação contundente quanto desafiadora: “Se é importante então pode ficar localizado onde não tenha o impacto visual que prejudica quem tem investimento e vive nesta localidade [Arco da Calheta]”.

O bancário de profissão é conhecido por ter investimentos no ramo do sector energético e também no alojamento local que tem vindo a diminuir neste segmento de negócio e a receber queixas de turistas que não apreciam as jaulas no mar da Calheta.

Pelo meio diz que “gostava de ver aqui [página do facebook] explicado quanto é que a Região ganha em impostos com esta actividade e quanto é que todos nós pagamos através do orçamento da Região com o apoio em subsídios para esta actividade por via de ajudas compensatórias à aquacultura”.

Agostinho Gouveia remata com a seguinte declaração: “O povo acaba por vencer”