CDR Prazeres atravessa “melhor momento da história”

Duarte Anjo não escondeu a satisfação durante o encerramento do programa de celebrações dos 33 anos

14 Nov 2019 / 21:13 H.

O presidente do Clube Desportivo e Recreativo dos Prazeres afirmou esta noite que a colectividade “atravessa um dos seus melhores momentos da curta história” da agremiação do concelho da Calheta. Duarte Anjo falava à margem da recuperação e entrega da mesa onde os 16 fundadores da instituição assinaram o documento da constituição da entidade, fechando, desta forma, o programa de celebrações dos 33 anos de existência.

“Há três décadas, quando os fundadores decidiram criar o clube jamais pensaram que passados 33 anos, o clube teria no seu palmarés um título europeu. Somos campeões em patinagem de velocidade e temos orgulho em ostentar tantas outras conquistas de elevado mérito desportivo, particularmente em badminton e noutras modalidades que temos no quadro de competições em vigor”, salientou durante a ocasião, um momento que contou com a presença do presidente do município, Carlos Teles que aplaudiu e enalteceu a persistência do grupo de associados que quiseram constituir o clube contra a vontade de outros.

O autarca considera que “o concelho tem o futuro assegurado no capítulo desportivo”, agradecendo os êxitos conquistados, um dos quais título europeu.

Antes, Duarte Anjo referiu ainda que a colectividade “está numa situação financeiramente estável”, o que permite lançar diferentes projectos, um deles nascerá junto à sede: “Vamos criar um ponto de carregamento de bicicletas eléctricas para que seja possível que os praticantes possam incluir no seu trajecto a freguesia. É também uma forma dinamizar a localidade e oferecer mais um serviço a quem nos visita”, observou o dirigente e uma velha glória do badminton madeirense.

Certa é a construção da nova pista de patinagem junto ao pavilhão e próximo ao campo municipal. A infra-estrutura permitirá que os atletas possam treinar diariamente bem como servirá para acolher eventos nacionais e internacionais

Por sua vez, Alfredo Fernandes antigo presidente da colectividade recordou que a instalação e a resistência encontrada: “O nosso objectivo nunca foi fundar um clube com a prática do futebol. A nossa ideia foi mostrar o potencial que os jovens tinham, forma-los e mostrar que eram tão capazes quanto outros. A ideia era trabalhar a juventude do concelho. A verdade é que os prémios conquistados é avassalador”, rematou os discursos.

Outras Notícias