União entrega ‘chaves’ da SAD ao accionista António Lopes

Clube instruiu membros da Administração da SAD para renunciar ao mandato até à Assembleia-Geral de accionistas de 30 de Março

21 Fev 2020 / 16:14 H.

Na sequência daquilo que considera ser um “contínuo e injurioso ataque por parte do accionista António Santos Lopes aos esforços imensos que têm sido desenvolvidos pela actual Administração da SAD para recuperar a imagem e a credibilidade pública do Clube de Futebol União”, a direcção azul e amarela decidiu entregar “de imediato e ’as chaves’ da SAD”, ao referido accionista, para que “a partir dos prazos legais, venha assumir os destinos do Clube de Futebol União da Madeira, Futebol, SAD e poder investir na continuidade da sua recuperação financeira, podendo assim resolver os graves problemas que se colocam neste momento”.

Em comunicado divulgado, há instantes, o clube, enquanto maior accionista da SAD, dá conta da decisão de “não investir mais” na SAD e também já instruiu “a sua equipa de administração para que renuncie aos seus cargos até que se realize a Assembleia-Geral de accionistas no próximo dia 30 de Março”. Uma decisão tomada “devido ao contínuo clima de guerrilha criado pelo accionista António Lopes e seus apaniguados, com acusações deploráveis, falsas e injuriosas sobre o trabalho da equipa de administração nomeada pelo Clube de Futebol União”.

No comunicado, assinado pelos membros da direcção João Carlos Correia Silva, João Nélio Freitas Camacho, José Manuel Abreu Ramos, Valeriano Cabral do Rosário e Sérgio Filipe Vieira Nóbrega, o Clube de Futebol União lembra que “a SAD está num estado de insolvência” e realça “todos os esforços para garantir as condições mínimas de trabalho do plantel profissional de futebol, dos escalões de formação e dos funcionários do clube”, desenvolvidos pela actual Administração.