Xarabanda entregou Cancioneiro à DRC há dois anos, mas ainda não foi editado

07 Dez 2019 / 19:04 H.

A Associação Xarabanda deseja que, no máximo, até 2021, ano em que comemora 40 anos de existência, seja possível editar o Cancioneiro de Música Tradicional da Madeira. Rui Camacho explicou, nesta tarde, durante a apresentação da obra e discografia completa do grupo, que decorreu no Teatro Municipal Baltazar Dias, que o Cancioneiro foi entregue à Direcção Regional da Cultura, há dois anos, e que espera que 2020 ou no ano seguinte a obra seja editada.

Os Xarabanda têm um trabalho de “38 anos, 20 anos de recolha”, que a Associação realizou entre 1981-2001. O resultado será “o primeiro cancioneiro geral do arquipélago da Madeira, da música tradicional, sistematizada, classificada e estudada”.

“Este trabalho já foi entregue há dois anos na DRC e esperamos ou para o ano ou, com certeza, para os 40 anos (da Associação), a sua publicação.”

Sobre o lançamento da discografia e história completa dos Xarabanda Rui Camacho considerou ser um “momento perfeitamente histórico”, em duplo sentido: por marcara um percurso de 38 anos e porque demonstra uma mudança de mentalidade. “Histórico porque contribuímos para mudar a mentalidade, para que a música tradicional chegasse às escolas, até ao conservatório”.

Estão em causa “seis discos que mudaram um pouco a compreensão da diversidade da música tradicional”.