Governo, Câmara e Diocese elogiam obra sobre património religioso da Calheta

26 Jun 2019 / 19:51 H.

O bispo da diocese, o secretário regional da Educação, o presidente da Câmara Municipal da Calheta e o presidente do Centro de Estudos e Desenvolvimento, Educação, Cultura e Social da Calheta não pouparam nos elogios à realização do 1.º livro da colecção inédita do património religioso da Calheta da autoria de Paulo Ladeira.

As palavras aconteceram justamente na apresentação do primeiro volume referente à freguesia, nomeadamente às paróquias do Loreto e do Arco da Calheta.

Jorge Carvalho chegou a sublinhar que esta “é mais uma prova que no sistema educativo existem docentes com tanta qualidade. Obra é fruto de dedicação ao trabalho”, disse, frisando que o livro passa a ser um “património portátil. Não é preciso deslocarmos aos locais. Um livro tem esse efeito”.

Por sua vez, o bispo da igreja madeirense coloco acento tónico na herança do património religioso referindo que representa a “grandeza com Deus”. Para o prelado “a arte sacra é importante olhada com testemunho da fé e convite a fé”, aplaudindo o rigor da obra literária: “Estava à espera de metade disto. Rejubilei. Estão de parabéns. Passou a fazer parte do nosso património”, afirmou sobre os 25 capítulos e 336 páginas, ilustrado com fotografias, resultado da investigação ao património religioso, edificado na freguesia, desde os finais do século XV até à actualidade

De resto, Carlos Teles vincou que o município dá muita importância o sector da cultura e o exemplo paradigmático é o lançamento de dois livros nas comemorações dos 517 anos que o concelho celebra.

Outras Notícias