Espectáculo ‘Saudades de Max’ chega a quase 3.000 pessoas

07 Set 2019 / 17:55 H.

Foi na Escola Agrícola da Madeira, em São Vicente, que, mais uma vez, o espectáculo ‘Saudades de Max’ encheu, ontem, a sala, com muitas palmas à mistura, em mais uma sessão que “excedeu todas as expectativas”.

São Vicente que foi o quinto concelho a acolher esta homenagem, depois do Funchal, Calheta, Machico e Porto Santo, num total de cerca de 3.000 pessoas abrangidas por este evento.

Uma aposta “na valorização da nossa identidade e do que verdadeiramente nos distingue, assim como no necessário reconhecimento público das nossas referências, como é o caso de Max” que, no entender da secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, “faz todo o sentido e deve manter-se para o futuro, envolvendo ainda mais pessoas e chegando, tal como Max conseguia chegar, a vários públicos e a diferentes gerações”.

Paula Cabaço que, mais uma vez, acompanhou a realização deste evento, numa oportunidade em que fez questão de sublinhar a “qualidade dos talentos que a Região tem na área da música”, referindo-se, concretamente, às três jovens cantoras e aos músicos que as acompanharam, neste espectáculo, vincando que “não é preciso trazer de fora o que, felizmente, temos cá dentro” e “desejando que, cada vez mais, se descubram e valorizem os inúmeros talentos que existem na Madeira e no Porto Santo”.

“Efectivamente, estas celebrações apenas atingem o seu expoente máximo na base da partilha a mais uma vez assistimos, neste grande espectáculo, naquele que já é a sua quinta deslocalização”, referiu a secretária, aludindo, neste caso, à estratégia de descentralização que, também neste evento, foi seguida, “com sucesso, em todos os locais por onde passou”.

“Só podemos estar satisfeitos perante mais esta sessão, até porque é assim que as comemorações dos 600 Anos cumprem o seu objectivo, ao afirmarem-se como uma grande celebração com todos e para todos”, concluiu.