Capela de Nossa Senhora da Conceição recebe espectáculo do grupo Dolcemente

09 Mai 2019 / 13:03 H.

A Secretaria Regional de Educação, através da Direcção de Serviços de Educação Artística e Multimédia (DSEAM), da Direcção Regional de Educação, promove um espectáculo, na Capela de Nossa Senhora da Conceição – Câmara de Lobos, domingo (12 de Maio), às 11h30, com o grupo Dolcemente, subordinado à temática ‘Barroco Alemão’.

Mantendo a intenção, iniciada em janeiro de 2019, de convidar alunos das atividades artísticas extraescolares (AAEE) da DSEAM na categoria de solistas, proporcionando aos mesmos a oportunidade de apresentar ao público em geral o seu talento musical, serão apresentadas duas obras de Telemann em que a flauta transversal e o oboé terão honras de destaque.

Maria Inês Figueira Silva tem 16 anos e é aluna do 11.º ano da Escola Secundária Francisco Franco. É aluna de flauta transversal da DSEAM, da classe da professora Tânia Fernandes, desde 2009. Actualmente frequenta o nível 6 deste instrumento. Já participou em inúmeros projectos da DSEAM como flautista e piccolista. Foi vencedora do XV - CJA em 2016 da classe infantil dos sopros.

Ângela Borges, com 16 anos, começou a tocar oboé há cinco anos na DSEAM, na classe do professor Ricardo Araújo e, além de ainda estudar nesta instituição, frequenta o curso profissional de instrumentista no Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira. Pretende, no futuro, ingressar na Escola de Música e Artes do Espectáculo no Porto para progredir com os seus estudos musicais.

Além das duas obras de Telemann, o grupo apresentará uma Trio Sonata de Johann Sebastian Bach e um quarteto de Fasch, apresentando, desta forma, algumas obras de várias fases do barroco alemão.

O Dolcemente é um grupo composto por professores das Artísticas Extraescolares (AAEE) da DSEAM, nomeadamente Sara Faria (Flautas de Bisel); Teresa Leão (Bandolim); Iryna Bandura (Violoncelo) e José António Silva (Guitarra). A escolha deste nome para o grupo, deve-se às características tímbricas dos instrumentos envolvidos, no que diz respeito à delicadeza do som.

Este agrupamento foi criado em 2008 e dedica-se quase em exclusivo à interpretação de música de câmara antiga, ou seja, dos períodos medievais ao barroco. Desde a sua formação destaca-se a sua participação em concertos da Temporada Artística da DEA, em simbiose com o Coro de Câmara da DEA e com o Consort Bisel, em 2009, participação no espectáculo “Búzio, a voz do Mar” no Mercado Quinhentista na Cidade de Machico em 2013, performance activa na cerimónia oficial de abertura dos 500 Anos da Diocese do Funchal (em conjunto com a Orquestra de Bandolins e com o Ensemble Vocal Regina Pacis) em junho de 2014 e no projecto de homenagem a Zeca Afonso “O que faz falta” em 2015 e 2016.

Dada a constituição instrumental atípica do grupo, o mesmo encontra necessidade em adaptar todas as músicas escolhidas e, cada elemento, além de acompanhador, representa também o papel de solista, resultando, deste modo, numa sonoridade única com características igualmente originais.